"A depressão que lentamente me devorou, acabou por me engolir"

Por Andre Batista / Imagens: Reprodução Facebook

“A depressão que me devorava lentamente finalmente se consumou”. Esse foi o recado que um dos cantores mais populares do mundo deixou para seus fãs antes de cometer suicídio, no dia 18 de dezembro último. Kim Jong-hyun, líder da banda sul-coreana SHINee foi encontrado em seu apartamento pela polícia, que suspeita que o cantor tenha inalado gases tóxicos para provocar a própria morte.

Jong-hyun, conhecido pelo apelido Jonghyunnie, representava mais do que um músico de qualidade. O cantor tinha milhões de fãs em toda a Ásia e fora dela, fãs esses que o tinham como modelo musical, de moda, de atuação e até mesmo de comportamento. Tendo vencido mais de 40 prêmios musicais em menos de uma década de existência, a banda SHINee se tornou símbolo de um dos estilos musicais que mais ganham destaque atualmente, o K-Pop (Pop sul-coreano).

Toda a admiração, dinheiro e fama, entretanto, não foram o bastante para libertarem Jonghyunnie da depressão. Em sua carta de despedida, entre outras coisas, ele escreveu:

“Eu estou quebrado por dentro. A depressão que lentamente me devorou, acabou por me engolir. Eu não pude vencer. Eu me odiava. Eu me lembro de chorar, mas não ter resposta alguma. Visto que estou respirando sufocado, eu prefiro parar.”

Do outro lado do mundo

Enquanto um dos maiores astros da música atual tirava a própria vida em Seul, capital da Coréia do Sul, do outro lado do mundo uma das atrizes mais queridas nos últimos anos fazia o mesmo.

A argentina Belén Persello, de 34 anos de idade, ficou famosa por seu papel na telenovela “Quase Anjos”, que teve duração de quatro anos e foi transmitida para 27 países da Europa, Oceania e América, inclusive o Brasil.

O sucesso da telenovela rendeu livros, lançamento em DVD’s e um musical no teatro, além de diversos prêmios televisivos, de interpretação e musicais.

Mesmo assim Belén lutava contra a depressão. Desde 2014 a atriz estava afastada da televisão e sua batalha chegou ao fim no sábado, dia 16 de dezembro último. Dois dias após o acontecido, a irmã da atriz, Sol Persello, divulgou a notícia para os fãs com a seguinte mensagem:

“Soube me guiar, me ajudar e tomar decisões muito importantes para meu futuro, me paparicou e muitas coisas mais. Até que um dia decidiu ir embora, irmãzinha. Mas sei que fez para ficar tranquila, ser feliz e escapar de tudo que lhe afetava.”

Mas será que a vida de Belén, daqui para frente, será realmente assim?

Falsa libertação

“Quem comete suicídio tem uma força do mal na vida dela, mas não entende isso. Ela fica presa a uma situação e a força do mal a coloca num beco sem saída. Na cabeça dessa pessoa, a melhor e a única saída é a morte.”

Quem explica é o bispo Francisco Decothé, da Universal. De acordo com ele, ao contrário do que o suicida acredita, “quando comete o suicídio, está fazendo algo pior. Está indo para um lugar talvez milhões de vezes pior”.

O bispo explica que é a influência de espíritos enganadores que faz a pessoa acreditar que a dor será extinguida assim que a morte física acontecer, faz a pessoa ver o suicídio como única forma de se livrar de um problema.

“Mas todas essas situações são argumentos usados por pessoas que pensam que, ao terem sua alma separada do corpo (morte), entrarão em um ambiente de paz e de solução para seus respectivos problemas. No entanto, se enganam e, infelizmente, mergulham num abismo profundo onde seus novos problemas serão insolúveis e eternos.”

Infelizmente, muitos são enganados pelo suicídio. Não podemos dizer que, hoje, Belén ou Jonghyunnie estejam em situação melhor do que quando deixaram suas vidas físicas, pois o sofrimento espiritual persiste.

Por isso, se você está pensando em cometer suicídio, acesse imediatamente o serviço Pastor Online, clicando aqui. Lá você encontrará pessoas dispostas a te ajudar, independentemente de qual seja o problema. Caso queira conversar com um pastor pessoalmente, ou ainda assistir a uma das reuniões na Universal, procure o endereço mais perto da sua casa.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço: Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000