Rede aleluia
Ana Paula Borgo – Jogadora profissional de vôlei
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Ana Paula Borgo – Jogadora profissional de vôlei

Minha História

 

 

 

“A minha força principal vem da fé, essa é a razão de tantas vitórias.”

Eu nunca desisti dos meus sonhos e hoje sou jogadora profissional de vôlei. Eu sou a Universal.

 

O diagnóstico do médico foi devastador.

 

Aquela linda bebezinha, no colo da mãe, era portadora de displasia do quadril: uma alteração no desenvolvimento do quadril do recém-nascido que prejudica a estabilidade das articulações. Assim, a pequenina Ana Paula jamais andaria normalmente e passaria o resto da vida mancando.

 

Resultado da fé

 

 

Corre o tempo até 2014.

Uma jovem com 20 anos de idade salta com tremenda impulsão, levando seu corpo atlético para além dos 2,24 metros da rede de vôlei. Com inacreditável velocidade, o braço da moça risca o ar até que a mão dela, aberta, desfere o golpe fatal contra a bola colorida, que vai rumo ao chão da quadra das adversárias. E é ponto do Brasil!

 

 

 

Esta é a síntese da jornada de Ana Paula Borgo, jogadora profissional de vôlei, nascida em Bauru, interior de São Paulo.

O esporte entrou na vida dela muito cedo.

O pai Antonio Carlos, quando jovem, foi atleta e admirador dos esportes. Pelo forte incentivo que recebeu em casa, Paula aprendeu desde cedo a praticar e a se dedicar ao esporte.

 

 

Aos 10 anos de idade, a boa estatura ajudou Ana Paula a se destacar e conseguir uma vaga no time de vôlei do clube Luso de Bauru. Quando completou 13 anos, a vontade de seguir com a carreira já estava no coração dela.

 

Com apenas 15 anos, foi morar sozinha em São Caetano do Sul (SP) para treinar com o time da cidade. Em nome do amor ao esporte, precisou abrir mão do convívio com a família.

 

No ano de 2009, foi convocada para a seleção paulista e jogou o campeonato brasileiro pela categoria sub-16.

 

Veio 2014 e a grande oportunidade no esporte: a convocação para a Seleção Brasileira sub-22 e a possibilidade de disputar o Campeonato Sul-Americano da categoria, disputado na Colômbia.

 

Ana Paula e suas companheiras foram campeãs do torneio, e ela foi escolhida a melhor da sua posição no campeonato.

Hoje, com 21 anos, ela defende um time paulista e treina com a seleção brasileira sub-23 na busca de um objetivo: ser uma Campeã Olímpica.

 

Além das quadras

 

O chão de Ana Paula, onde ela firma os pés para dar os saltos em quadra e na vida, rumo ao sucesso no vôlei, são sua mãe Débora, seu pai Antonio Carlos, o irmão Pedro, unidos por elos tão fortes que mesmo a distância não consegue enfraquecer. Mas, conforme ela mesma diz, a sua “força principal vem da fé em Deus, razão de tantas vitórias”.

 

 

A rotina de Ana Paula é exaustiva: são treinos de segunda a sexta, compostos por 5 horas de prática com bola e mais duas horas de musculação, isso quando não há competição.

 

Impossível esquecer

 

 Um dos momentos mais difíceis da carreira foi na final do Campeonato Paulista de 2009, quando Ana Paula rompeu os ligamentos do joelho. Muito nova e longe dos pais, Ana sentiu medo, pois acreditava que nunca mais seria a mesma jogadora de vôlei.

 

 

 Submetida a uma cirurgia, ela ficou aproximadamente 10 meses fora das quadras. Nesse período, dedicou-se a sua recuperação com afinco. Os treinos eram mais pesados, como malhar o dobro da carga para fortalecer a musculatura para manter-se forte e voltar a jogar. Foi difícil, mas ela conseguiu se recuperar e voltar à performance de atleta de alto nível.

 

 Uma mulher de personalidade. Uma guerreira que nunca desiste dos sonhos. Ana Paula Borgo é Jogadora profissional de vôlei. Ela é a Universal!

 

 

 

Clique aqui e veja mais histórias como essa.