Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Chegada da Arca da Aliança em JohanNesburgo

O símbolo sagrado foi recebido no estádio Ellis Park, na África do Sul

A Arca da Aliança chegou à África do Sul no dia 19 de abril. O símbolo sagrado foi recebido em um grande evento no estádio Ellis Park, em Johannesburgo, maior cidade do país. Cerca de 80 mil pessoas estiveram na cerimônia a céu aberto, denominada Amandla Ngawethu Plus, termo que quer dizer “poder para o povo”, em zulu, e que foi muito usado no período de opressão do apartheid, regime de segregação racial, e tem grande significado para o povo.

Aproximadamente 6 mil obreiros e 2 mil pessoas auxiliaram na organização e na segurança, além da participação da Polícia municipal, dos agentes de trânsito, do Corpo de Bombeiros e de uma comissão de gerenciamento de prevenção e desastres.

Você pode ser a Arca
O Bispo Marcelo Pires, responsável pelo trabalho da Universal na África do Sul, começou o evento trazendo um grande galão, que normalmente é usado para colocar resíduos venenosos, com um sinal de alerta de perigo. Ao abrir o recipiente, ele retirou palavras escritas em pedaços de papel, como ódio, ciúme e preconceito, e afirmou: “se bebermos veneno, ele nos matará. Hoje, você tem a oportunidade de começar uma nova vida, mas isso depende de você. Se você fizer sua parte, Deus fará a dEle”.

Depois dessa reflexão, todo o estádio se preparou para receber a Arca da Aliança e trombetas foram tocadas. O silêncio da multidão por mais de 20 minutos, em reverência, impressionou a todos. Então, o Bispo Marcelo explicou que “a Arca sempre estava à frente dos israelitas e nada parava esse povo. Hoje ela está aqui para acender a nossa fé e nos lembrar que Deus quer morar dentro de nós. Quando o Espírito Santo mora dentro nós, nos transformamos na Arca e somos invencíveis, mas, para sermos a Arca, é preciso sacrifício”, disse.

Deus não falha
Para o Bispo Marcelo, o evento também foi uma oportunidade de mostrar que Deus providencia tudo o que precisamos. “Se você crê, nada lhe falta e sua vida se torna completa. Aprenda a confiar em Deus, não importando qual seja a situação. Os problemas sempre existirão, mas eles nos fazem mais fortes. Se você se entregar a Deus, Ele te transformará. Você precisa obedecer a Ele.”

A empresária Bongeka Mama, de 36 anos, assegurou que comparecer ao evento transformou sua vida. “Eu estava passando por uma situação que parecia impossível resolver. Meu primo sumiu uma semana e eu estava com medo que ele estivesse morto. Orei por ele. A presença de Deus me deu garantia da vitória e três dias depois ele voltou para casa. No quarto dia ele foi à Igreja porque decidiu dar sua vida a Deus”, enfatizou.

No final de semana que sucedeu o evento, a Arca passou por Porto Elizabeth e Cidade do Cabo. Depois, seguiu para a Namíbia, país que faz fronteira ao sul com a África do Sul, onde permanecerá por cerca de um mês. Em seguida, será levada para Botsuana, país ao norte da África do Sul.


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas  


reportar erro