eb3c52f78ce3362254213324871c7984 Nudez, o que há de errado? - Universal.org

Nudez, o que há de errado?

O mundo tem mudado muito, e não é para melhor!

Vivemos tempos difíceis, em que o egoísmo, a promiscuidade, a violência, a infidelidade e tantos outros males solapam a sociedade de tal maneira que até os cristãos têm se corrompido com essas novas propostas.

Gostaria de conversar com você hoje sobre NUDEZ, um assunto um pouco polêmico, mas que tem me incomodado muito. Espero conseguir expor algumas ideias aqui sem escrever um livro, rs.

Quando aconteceu a queda de Adão e Eva, os efeitos imediatos do pecado neles foram o medo e a vergonha de Deus.

Lembramos que esse primeiro casal vivia nu de forma inocente e pura, mas, após a desobediência, a primeira consequência foi a percepção da nudez. Então, costuraram folhas de figueiras para se cobrirem. Porém, não era só o corpo que estava despido. O pecado despojou o homem da luz e da santidade que Deus havia lhe dado.

Um dia, ao entardecer, o Senhor foi caminhar pelo Éden para conversar com Suas criaturas, como de costume. Ele chamou pelo homem várias vezes e não foi atendido, até que chegou o momento em que Adão não pôde mais ignorar o chamado Divino. Veja a sua resposta:

E ele disse: Ouvi a Tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. Gênesis 3:10

O problema não era a Voz de Deus, afinal, o Senhor já havia falado com o casal muitas outras vezes. O medo veio por eles terem se rebelado contra o Altíssimo e contra a Sua instrução de não comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Agora, para cobrir a transgressão e a vergonha causadas pela desobediência, seria necessário sacrificar um animal para preparar uma túnica com a sua pele, veste que foi confeccionada pelo Próprio Deus. Perceba que este primeiro sacrifício já prefigurava o sacrifício do Senhor Jesus que nos “cobriria de nossos pecados” definitivamente.

Saiba que a palavra “vestimenta”, em hebraico, tem como um dos principais significados a “não vergonha”, ou seja, as roupas existem para proteger o corpo da desonra, do constrangimento e da vergonha.

Então, podemos entender, claramente, que a sede por despir o corpo, hoje, é um ato de rebelião contra Deus, pois foi Ele Quem providenciou este recurso como proteção para o ser humano.

Contudo, sob o conceito diabólico que “o bonito é para ser mostrado”, muitas mulheres estão se despindo até nas redes sociais para qualquer público. Sem contar aquelas que se dizem vestidas, mas suas roupas não cobrem quase nada do seu corpo.

Certamente, você também já deve ter reparado o quanto se popularizou entre os jovens e os adultos a moda de mandar “nudes” para outros, principalmente via celular.

Parece algo tão simples, quanto ir à padaria comprar pão, mandar fotos ou vídeos de si mesmo pelado para meio mundo via WhatsApp.

Veja que as pessoas estão transgredindo contra Deus continuamente, se afundando na lama deste mundo e nem sequer se envergonham disso.

É completamente bíblica a cobertura decente do corpo. E consiste em revolta contra Deus o desejo de profanar esse corpo ao se expor à nudez e aos apelos sensuais que esse tipo de comportamento provoca.

A maneira que uma pessoa se veste mostra, e muito, se ela se inclina a Deus ou ao diabo, à rebeldia ou ao temor.

Sei que os artistas têm muita dificuldade de entender isso, pois foi incorporada à classe a ideia de que nudez é arte. Por isso chegamos ao ponto de ver uma criança tocar o corpo de um homem nu e isso ser aplaudido e defendido como uma grande manifestação artística.

Mas, se você não foi contaminado por este espírito que reina no cinema, na televisão, na música, nas redes sociais e entre outros meios manipulados pelo mal, permaneça conservando seus princípios.

Não distraia sua razão com os modismos que surgem a cada dia, mas avalie o que é bom ou não para agregar à sua vida. E, sobretudo, de qual fonte procede tal conceito.

Falei da nudez somente sob o prisma espiritual, mas vocês poderiam me ajudar nos comentários a falar também sobre os prejuízos na imagem e no valor de uma mulher que não se atenta à sua conduta.

Quem vai colaborar?:)

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaela Dias, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 2392-3372

Endereço: Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000