Do deserto ao jardim

A trajetória terrena do Senhor Jesus mostra que Ele passou por dificuldades até mesmo no Seu nascimento

Por Núbia Siqueira / Foto: iStock

Uma das qualidades mais admiráveis no ser humano é sua capacidade de transformar derrotas em vitórias.

Para punir uma pessoa e não sujar suas mãos com sangue era costume de alguns povos do passado, que viviam no Oriente, de atirá-las no deserto inóspito para morrerem. Era uma pena de morte solitária e lenta, pois quem conseguiria sobreviver?

Porém, para surpresa de seus algozes que rondavam as redondezas tempos depois em busca do cadáver, não encontravam nem os restos mortais de alguns e nem o deserto. Quer dizer, essas pessoas conseguiam extrair forças da fraqueza para reverter a situação a tal ponto que criavam um oásis naquela região. Por isso, muitos povoados e cidades começaram com alguém sendo punido.

Ao tomar conhecimento disso, lembro-me da minha infância. Desde muito pequena percebi que a vida não era um mar de rosas devido aos graves problemas familiares. O casamento dos meus pais era muito conturbado, com inúmeras brigas e idas e vindas. Era tanto sofrimento que, por várias vezes, desejei o fim daquela união. Eu achava melhor vê-los separados do que presenciar uma tragédia, tamanha era a gravidade das agressões.

Ouvi palavras duras e vivi situações terríveis que me machucaram profundamente. Foram anos de golpes cruéis na minha alma que provocaram feridas profundas. Eu tinha tudo para ser recalcada e agressiva com as pessoas. Poderia ser insensível e bloqueada emocionalmente por causa dos traumas. E ainda cometer muitos erros e justificá-los com o meu passado difícil.

Mas, conhecer o Senhor Jesus trouxe a cura para a minha alma, paz para meus conflitos e libertação dos meus traumas. Foram muitas lutas internas que eu tive que vencer para chegar aqui. Sei que tudo que passei tornou-me mais forte e mais experiente para ajudar outras pessoas.

Penso que aqueles que não vencem seus traumas acabam ferindo outros, assim como foram feridos.

Reflita comigo: ninguém teve e tem mais adversidades do que Deus. Sua história com o ser humano é marcada por cuidado e fidelidade, mas, em troca, Ele recebe rejeição e abandono. Em todo o tempo Ele compreende, mas não é compreendido. E amou as pessoas de uma forma tão intensa e extraordinária que foi capaz de dar o Seu tudo – Seu único Filho – mas pela maioria não é amado.

A trajetória terrena do Senhor Jesus mostra que com Ele também não foi diferente, pois passou por dificuldades até mesmo no Seu nascimento. Imagine o Rei dos reis ter que nascer num estábulo e ser deitado recém-nascido no cocho onde os animais alimentavam-se!

Viveu na simplicidade cumprindo toda a Lei e Justiça para nos ensinar. Mesmo assim, não fizeram caso dEle. Foi também rejeitado, traído e condenado por um crime que não cometeu. Pior, tratado pelo Seu povo até os dias de hoje como um falso Messias. Ah, mas Ele usou essa rejeição para nos alcançar! Por isso estamos aqui!

Mesmo passando pelo desprezo, o Senhor Jesus segue sendo Quem é e fazendo o que Ele faz. Deus não Se deixa levar pela indiferença que sofre. Não muda Sua Palavra porque a criticam. Não altera Seu caráter para agradar àqueles que O desprezam. Em toda a Escritura Sagrada O vemos firme e inabalável em Seus propósitos eternos, ainda que o homem não se volte para Ele.

Então, se você ainda vive influenciada pelos seus sofrimentos e traumas, ou usa-os como desculpas para justificar seu jeito, erros e problemas, pense bem no que acabou de ler. Não seja prisioneira da sua própria história, mas se torne mais forte e experiente através de TUDO que você viveu.

ler mais
Reportar erro


Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Do deserto ao jardim

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games