O tempo tem corroído a sua confiança em Deus?

Em períodos difíceis, muitas opiniões tentam tirar você do alvo. Aquela que você seguir e obedecer é a voz mais forte dentro de você


Por Eduardo Prestes / Fotos: Gettyimages e Demetrio Koch

É quase uma condição de todo ser humano enfrentar problemas difíceis e que muitas vezes parecem até impossíveis de serem resolvidos.

Mas o que você faria se tivesse a chance de resolvê-los? Se fosse dada a você a oportunidade de mudar a sua vida completamente, de se livrar de uma doença ou de um vício? Se você tivesse a possibilidade de restaurar um relacionamento perdido que ainda não ficou bem resolvido ou de transformar a sua condição financeira e passar de devedor a alguém próspero e sem dívidas? Ou até, quem sabe, finalmente realizar aquele sonho de tantos anos?

Assim vivia Abraão. Ele tinha riquezas, bens, uma vida confortável e seu casamento era feliz. Porém, ele carregava uma grande vergonha. Aquilo que tanto desejava não tinha acontecido nem parecia possível que acontecesse. Abraão não tinha filhos, pois sua esposa, Sara, era estéril. Naquela época tal situação trazia dor, vergonha e humilhação para sua casa. Ele morreria sem deixar um herdeiro.

Até que um dia ele ouviu um chamado. Deus falou com ele e pediu que saísse de sua casa, deixasse seus parentes, porque Ele lhe mostraria aonde deveria ir. Além disso, prometeu realizar seu sonho e lhe dar um herdeiro. Ou melhor gerar dele uma grande nação.

Mesmo sem ver a Deus e, apesar de saber que seu corpo e o de sua esposa já não eram mais jovens, ele obedeceu Aquela Voz e partiu. Aos 75 anos, Abraão saiu de seu lar sem olhar para trás. Como Deus faria aquilo? Abraão não questionou, apenas obedeceu. E Deus fez muito mais do que ele poderia imaginar.

Obedecer traz resultado
Essa atitude de obediência de Abraão é hoje referência para os cristãos que decidem seguir de fato a Palavra de Deus. Os filhos de Deus não temem obedecer ao seu Pai, pois sabem que Ele não falha. Quem é pai ou mãe sabe que entre tantas coisas que esperam de seus filhos a obediência está no topo da lista. Qual pai não aprecia ensinar algo a seu filho ou dar uma orientação e vê-lo cumprindo-a à risca?

O Bispo Sergio Corrêa (foto acima) explica que para alcançar o que Deus prometeu é preciso agir. “Não tem como agir a fé sem abrir mão de algo. É impossível crer na justiça, na Palavra de Deus e a fé funcionar sem que haja renúncia. Abraão estava confortável, mas abriu mão de tudo para herdar o que Deus lhe prometeu. Ele não tinha noção do que viria, mas obedeceu.”

Com base nesta fé, a Fogueira Santa é uma proposta para quem quer mudar de vida. Mas é necessário entender o que ela é e como participar. Veja histórias de quem tomou uma atitude de fé para mudar de vida.

O Espírito Santo
O jovem empresário Heitor Abreu Nunes, (foto abaixo) de 27 anos, demorou um certo tempo para ouvir a Voz de Deus, mesmo sendo de uma família que frequentava a Universal. “Meus pais chegaram com a vida totalmente destruída. Na época, eu tinha dois anos. Meu pai pensava em matar toda a família e depois se matar, pois tinha perdido tudo. Sua empresa estava praticamente falida. Depois de participarem da Fogueira Santa, eles começaram a ser abençoados em todos os aspectos.”

O jovem recorda que, mesmo vendo a mudança que a Fogueira Santa trazia na vida de sua família, ele ainda não dimensionava o significado disso. “Acompanhei vários propósitos com eles. A primeira Fogueira Santa que foi marcante para mim aconteceu na minha adolescência. Estava com 15 para 16 anos e participei. Eu queria atingir as notas necessárias para passar no colégio. Eu consegui passar de ano na escola, mas o principal foi eu ter recebido o Espírito Santo.”

Heitor conta que, depois de receber o Espírito Santo, ele começou a ter a direção de Deus em seus caminhos. “Veio outra Fogueira Santa e fui vender picolé na praia. Já tinha recebido de Deus a direção para trabalhar com investimentos com a minha mãe, mas esse propósito foi sendo trabalhado aos poucos na minha vida. Com 18 anos, consegui meu primeiro carro importado. O tempo foi passando e atingi uma boa condição econômica e cheguei a pensar que não precisava mais participar da Fogueira Santa.”

A voz que vem do Altar
Participar da campanha de verdade e alcançar resultados é sacrificar a si mesmo, mas o resultado da decisão tomada por Heitor veio a seguir: “perdi um apartamento no litoral. Percebendo o meu erro, voltei a sacrificar e depois conquistei uma casa na praia e outros bens. Dei um jet ski, um carro conversível, dei tudo e Deus foi me restituindo. Fui construindo uma história com Ele. Também fui atendido na vida sentimental. Sou noivo. Encontrei a pessoa certa. Hoje tenho uma cobertura tríplex para morar e uma casa no litoral. No ano que vem, me caso”, conta.

Heitor revela que não fica mais fora de nenhuma Fogueira Santa. “Eu me lanço. Tem algo que eu aprendi: não é o que eu vou pedir para Deus, mas o que Deus está pedindo para mim. O mais importante é o pedido que Deus faz para mim, mas esse entendimento não vem de uma hora para outra, é uma trajetória, uma construção.”

O jovem empreendedor quer fortalecer cada vez mais a relação que tem com Deus e afirma: “se não for batizado com o Espírito Santo, não adianta sacrificar. Você pode até conseguir uma coisa ou outra, mas volta à estaca zero. Eu sou levita e continuo sacrificando. Meu sonho é ajudar financeiramente a construir catedrais e templos. Para quem está chegando à Fogueira Santa, digo para se entregar sem reservas.

Sacrifique a sua própria vontade. É a sua vida que tem que ser colocada no Altar. Quando eu tive que vender picolé, sacrifiquei o meu orgulho.”

Mas Heitor diz que a Fogueira Santa não é um passe de mágica. “Deus vai fazendo as coisas acontecerem na sua vida para você analisar quem você é, o que está plantando e quem será amanhã. Tudo é consequência da sua entrega e das suas realizações. Você tem que estar em movimento, senão não dá certo.”

Viciado e destruído
Outro exemplo de alguém que teve a vida transformada depois de aceitar a proposta da Fogueira Santa é o empresário da construção civil Luiz Fernando da Silva, (foto abaixo) de 43 anos. De acordo com ele, caso não tivesse encontrado essa saída, certamente ainda estaria entregue ao vício.

“Eu bebia demais. Isso estava acabando com a minha vida, com o meu trabalho e com o meu casamento. Minha esposa já ameaçava me deixar, pois eu chegava bêbado em casa. Eu tinha dívidas que não sabia como iria pagar.”

Ao assistir a um programa de televisão que falava da Universal, Luiz descobriu que havia uma chance de ficar livre dos vícios. “Eu ouvi histórias de pessoas que tinham passado por problemas parecidos com os meus e resolvi visitar a Igreja. Quando cheguei lá era época de Fogueira Santa. Decidi que precisava agarrar aquela oportunidade e me entreguei no Altar.”

De Fé em Fé
Embora ainda não entendesse muito bem o propósito do qual estava participando, Luiz resolveu obedecer ao direcionamento que lhe era dado. “Uns 15 dias depois minha vida já começou a mudar. Consegui um trabalho, um contrato que foi puxando outros. Depois de participar da primeira reunião, eu já não tinha nenhuma vontade de beber. De fé em fé, minha vida foi mudando. Eu morava em um lugar muito ruim, mas minha vida foi mudando.

A partir da segunda campanha eu já entendia como era a Fogueira Santa, porque é o próprio Deus que fala conosco por meio do pastor. Mas você tem que estar de coração aberto para entender quando Deus fala. Você não fica discutindo quanto ao que você quer. Você apenas obedece.”

Luiz conta como sua história foi reescrita após se entregar a Deus: “minha vida mudou. Veio a restauração do meu casamento. Consegui abrir minha própria empresa de forma bem estruturada, tenho apartamento e casa de alto padrão. Para quem saiu de um barraco como eu e nem pensava nessas conquistas, estou muito bem. Tenho carros importados que eu nem sonhava ter”.

Luiz aconselha que as pessoas ouçam a Voz de Deus. “Deem ouvidos à Voz do Espírito Santo, obedeçam de corpo e alma, pois sem o Espírito de Deus não há como transformar alguém. Deus fala a todos e não discrimina ninguém. Eu fiz um propósito para Ele me honrar e isso transformou a minha vida. Para mim, que fiz apenas até a quarta série do ensino fundamental, não tem explicação. Só pode ser Deus.”

Vergonha
A restauração da família também acontece na vida de quem decide colocar sua vida nas mãos de Deus. A ex-policial militar Adriana Nunes dos Santos, (foto abaixo) de 44 anos, conta que vivia um casamento feliz até receber uma triste notícia. “Meu marido era coronel da Polícia Militar, era meu comandante e também meu pastor em outra denominação evangélica. Certo dia chegou em casa e disse que iria me abandonar e não deu nenhum motivo. Até achei que fosse brincadeira.”

Mas não era. O marido dela, Ronaldo, tinha uma amante e decidiu jogar fora o relacionamento com Adriana. “Ele foi morar com outra mulher. Nós tínhamos uma empresa com aproximadamente 200 funcionários e comecei a perder clientes. Eu fui envergonhada. Só pensava em suicídio. Sem marido, com a vida financeira indo para o abismo, fui convidada para ir à Universal. Eu odiava a Igreja, mas, ao contrário do que eu imaginava, fui muito bem recebida.”

Adriana conta que passado um mês ela teve a possibilidade de mudar de vida ao participar da Fogueira Santa. “Deus me pediu um sacrifício, mas eu fiz um sacrifício sem obediência, sem me lançar e o que aconteceu? Mais ruína. Ronaldo se casou com a amante. Eu perdi o dinheiro que eu tinha e ainda tive que mudar de cidade. Minha vida foi para o fundo do poço.”

Libertação
Passaram-se quatro anos sem que Adriana encontrasse Ronaldo. Ela resolveu pegar firme na sua fé. “Fui batizada e passei a fazer o sacrifício pedido por Deus depois de ouvir uma pregação sobre obediência. Eu estava com três aluguéis atrasados, luz e água cortados, mas mesmo assim me lancei no Altar. Foi quando Ronaldo foi até a minha cidade para visitar nossos filhos.”

Adriana conta que Ronaldo disse que estava tudo bem com ele, mas algo aconteceu. “Quando eu subi ao Altar para fazer meu sacrifício, ele me ligou chorando e disse que tinha sido colocado para fora de casa. Me perguntou o que devia fazer. Depois disso, pediu para ir à Igreja comigo. Ele passou por um processo de libertação e se divorciou.”

Depois que Ronaldo pediu o divórcio, eles resolveram reatar. “Fizemos tudo certinho. Nós participamos da Terapia do Amor, namoramos e casamos dentro da Igreja. O Ronaldo estava liberto. Eu avalio que a Fogueira Santa é a oportunidade que Deus nos dá para transformar nossas vidas, para acontecer aquilo que nunca aconteceu. É o melhor momento dentro da igreja para você reverter qualquer quadro, seja na vida financeira , seja na amorosa, e mudar qualquer história.”

Depois do sacrifício
Em períodos difíceis, de lutas, de sacrifício, como na época da Fogueira Santa, muitas vozes aparecem para lhe fazer desanimar. No entanto perseverar é importante para atingir seu objetivo. A fé age como um impulsionador em sua vida, porém você precisa continuar lutando dia após dia para vencer a si mesmo. Quem explica isso é o Bispo Júlio Freitas: “a primeira luta é justamente contra o seu eu. Você precisa vencê-lo. É uma batalha contra os seus sentimentos, seja de dúvida, de ansiedade ou de medo. E, mesmo que os vença, eles vão tentar voltar. Para se blindar, ouça só a Voz de Deus, a fé e a Sua Palavra. Não dê ouvidos a mais ninguém nem para
as circunstâncias”.

Aqueles que sacrificaram verdadeiramente nesta campanha podem ter a firme convicção de que receberão aquilo que Deus promete. E aqueles que ainda não conseguiram vencer o seu eu ainda têm esta chance. Você não precisa mais sofrer. Sua vida pode mudar hoje, basta você agir. Procure a Universal mais próxima e peça orientação ao pastor de como participar da Fogueira Santa.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O tempo tem corroído a sua confiança em Deus?

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games