Voluntários já ajudaram 40 mil imigrantes venezuelanos em Roraima

Ação humanitária oferece comida, roupas e cuidados médicos a refugiados. Cerca de 60% são crianças


Por Unicom

O programa social A Gente da Comunidade (AGC), realizou mais um evento Unisocial no dia 15 de março em Roraima. Os constantes eventos já beneficiaram 40 mil venezuelanos desde o ano de 2017, onde se iniciou a crise migratória. Doações de alimentos e atendimento médico, foram oferecidos para os venezuelanos que se encontram na fronteira entre o Brasil e a Venezuela, localizada na cidade de Pacaraima.

Aílton Duarte, coordenador do AGC do estado, explica que, atualmente, a maior preocupação do grupo tem sido com as crianças, pois elas seriam a maioria entre os refugiados. “Cada venezuelano chega a Roraima com pelo menos dois filhos. Acredito que um adulto consiga compreender a dificuldade atual que se encontra, mas uma criança, normalmente, não”, lamenta o coordenador.

“No ano passado, presenciamos esses pequenos procurando comida no lixo – por tamanha fome que estavam passando. Graças a Deus e à ajuda de muitas pessoas, estamos conseguindo amenizar essa situação”, avaliou Ailton.

Além de alimentos, peças de roupa e água potável também são doadas aos imigrantes que fogem da Venezuela em busca de condições de sobrevivência, já que seu país não fornece mais.

A ação de 15 de março também contou com a presença de enfermeiros que aferiram a pressão e encaminharam os venezuelanos que estavam com quadros alterados para o posto de saúde mais próximo.

Segundo o coordenador, as ações estão sendo intensificadas para os venezuelanos que estão fora dos abrigos, pois os mesmos se encontram como clandestinos no país e isso dificulta a ajuda do governo em alcançá-los. “Além da fome e sede, muitos necessitam de atendimento médico, pois os mesmos se encontram doentes e com feridas nos pés por caminharem do seu país até o Brasil em busca de ajuda”, concluiu Aílton.

Perspectivas de piora

Levantamento da ONU aponta que, diariamente, cerca de cinco mil pessoas deixam a Venezuela em busca de melhores condições de vida.

Os poucos negócios que continuam abertos no país funcionam precariamente, quase sem produtos e com poucos funcionários. Os alimentos são um dos poucos itens vendidos na moeda local – bolívares soberanos.

Outra consequência do caos no país, é o aumento de pedintes e da população em situação de rua, o emagrecimento do povo e, em casos mais graves, a desnutrição entre crianças e idosos.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Voluntários já ajudaram 40 mil imigrantes venezuelanos em Roraima

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games