Entrelinhas: Médico sofria com depressão e não via cura

Conheça a história de Marco Antonio Franteira, que quase desistiu de sua vida


Por Andre Batista / Imagens: Reprodução Univer Vídeo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão afeta hoje 322 milhões de pessoas, sem fazer distinção entre classe social, cor de pele, religião ou qualquer outra. Somente no Brasil são cerca de 13 milhões de depressivos.

Um desses milhões era o médico Marco Antonio Franteira. A doença chegou até ele após a morte de um grande amigo, primo dele. Ainda lidando com o estresse de sua formação acadêmica, Marco se deixou abater pela depressão. A partir daí, sua vida se tornou cada vez pior.

O programa Entrelinhas, transmitido ao vivo, pelo Univer Vídeo neste domingo (24), trouxe ao público a história de vida de Marco Antonio. Apresentado pelo casal Bispo Renato Cardoso e Cristiane Cardoso, o programa utilizou o testemunho do médico para conversar sobre essa doença que faz mal a tantas pessoas.

Impossível ser feliz?

Conforme contou, Marco Antonio se casou, teve um filho e iniciou a carreira de médico com sucesso. No entanto, garante, nada disso o libertou da depressão.

“Persistia, principalmente à noite, aquela dor, aquela angustia, aquele aperto na garganta que sufoca a gente”, contou o médico.

Logo, o pai dele e seu sogro faleceram. Na visão de Marco Antonio, a morte lhe tirara mais dois grandes amigos. Pouco depois, a esposa o expulsou de casa, alegando incompatibilidade de gênios.

depressão

O problema de muitos

A vida de Marco Antonio ia de mal a pior, mas ele não aceitava admitir a depressão que se instalara. Sua mãe chegou a levar amigos para falarem com ele. Dois desses amigos eram psiquiatras, mas ele não admitia que era doente.

Conforme explicou o Bispo Renato Cardoso, esse é um dos grandes problemas da depressão: muitas pessoas não admitem que são doentes. O que as impede de buscar a cura.

“O pior problema não é o fracasso. O pior problema é o orgulho. É a resistência em admitir que você tem um problema, que você não tem conseguido resolver sozinho. E, portanto, você não procura ajuda. Você mantém-se com uma cara firme, forte, como se estivesse tudo certo. E você está morrendo por dentro. E isso não é inteligente. Isso não é ser forte. Ser forte é você reconhecer que precisa de ajuda. É dizer: eu não sei o que fazer, não sei como agir”, afirmou Renato. “Essa humildade é muito mais forte do que o orgulho”.

Nem mesmo um novo casamento ajudou Marco Antonio a ser feliz. Ele se agarrava à profissão para fugir da depressão. Nos fins de semana, bebia e fazia churrascos. Mas o vazio dentro de si crescia cada vez mais. A ponto de ele fechar o consultório. Era ele desistindo da última coisa que lhe fazia sentir bem na vida.

Marco Antonio não acreditava ser possível ter uma vida melhor. Mas assim que foi liberto da depressão, tudo mudou.

O Programa completo você pode assistir nos próximos dias no Univer Vídeo. Aguarde!

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Entrelinhas: Médico sofria com depressão e não via cura

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games