Vigiando sua masculinidade

As ideias erradas sobre o que significa ser homem têm colocado muitos em sérios problemas e feito com que percam grandes oportunidades. Veja como não cair nesta armadilha


Por Marcelo Rangel / Foto: Fotolia

Um homem precisa estar atento a tudo aquilo que lhe faz perder grandes oportunidades na vida, além de vigiar suas atitudes para não cair em tentações baratas que podem fazer dele muita coisa, menos um homem de verdade.

Aos 19 anos, Thierno-Oury Barry, natural de Guiné-Bissau, na África, estava com uma oportunidade de ouro nas mãos. Conseguiu ingressar no curso de economia da prestigiada Universidade de Laval (UL), no Québec, província de colonização francesa do Canadá. No entanto ele não focou nos estudos e no que eles poderiam render à sua vida.

Não era difícil que estivesse em rodinhas para fumar maconha, festas regadas a muito álcool e com “amizades” que lhe faziam mal.

Foi justamente em uma dessas festas que ele foi visto conversando de forma exaltada com outro rapaz. Os dois diziam que as universitárias eram “fáceis” e que não costumavam negar relações sexuais aos homens.

Animado com o que sua cabeça cheia de álcool mentalizava para que aquilo parecesse boa ideia, Barry logo já estava em um dos alojamentos da universidade invadindo alguns quartos. Na noite de outubro de 2016, ele agrediu sexualmente 12 moças entre 18 e 20 anos de idade, com “carícias forçadas”.

Depois de ser preso, ele foi sentenciado a três anos de detenção, sendo que poderia ser dez anos. Esse foi um dos resultados da besteira que ele cometeu, pois também foi expulso da universidade.

Recentemente, quase no fim da pena, Barry conseguiu ser solto pelo sistema de liberdade condicional, mas deu de cara com outra questão: por causa de seus atos, perdeu seu visto de estudante. Logo, não poderia mais ficar no Canadá. Então, foi deportado e perdeu tanto sua oportunidade de estudo quanto a de se tornar um cidadão canadense – que ele poderia acabar requerendo pelo tempo que já morava naquele país.

E essas nem foram as piores consequências para ele. Algumas das moças agredidas ainda estão em terapia para suportar psicologicamente os atos de Barry. Uma delas, moradora de Québec, trancou a matrícula na universidade e outras três, estrangeiras, abandonaram o curso e voltaram para seus países de origem.

Não foi só o agressor que perdeu grandes oportunidades. Uma das vítimas, no julgamento de Barry, disse-lhe, olhando em seus olhos: “você nos destruiu aquela noite”.

Felizmente, ao contrário de Barry, há rapazes que honram seu histórico como homens desde cedo. Não se deixam levar pelas facilidades e tentações nem pelas más influências de alguns que pregam que ser homem é apenas um “balaio” repleto de atitudes machistas, como pensar que mulheres são pedaços de carne à sua disposição.

A Bíblia é repleta de recomendações sobre o que significa ser homem de verdade. Ao meditarmos nela, conseguimos reconhecer a sabedoria que há na Palavra de Deus, que já levou muitos a trilharem bons caminhos, como ser um cidadão exemplar, pai, marido e profissional respeitado.

“Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos.” (1 Coríntios 16.13). Sim, “varonilmente”, ou seja, como varões: homens de valor nas atitudes e não só na certidão de nascimento.

Um jovem que não confia apenas na sua força de vontade, mas tem Deus como base e entrega sua vida nas mãos dEle, dificilmente cairá em situações como a que o rapaz guineense viveu. Certamente, um homem de Deus, mesmo com pouca idade e pouca experiência, não cai na tentação de tomar atitudes que o levem a atos condenáveis.

Vale meditar nas mensagens contidas em Provérbios 13.16: “Todo prudente procede com conhecimento, mas o insensato espraia e espalha a sua loucura”. E também no que está descrito em Provérbios 14.12: “Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vigiando sua masculinidade

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games