Voluntários da Universal fazem doações para vítimas de Brumadinho

Mais de mil voluntários estão envolvidos na ação. Saiba como doar também


Por Rafaela Dias / Fotos: Isac Nóbrega - Agência Brasil e Cedidas - (última atualização feita dia 04/02 às 16h05)

Na tarde do dia 25, os brasileiros foram surpreendidos com a notícia de mais um desastre ambiental em Minas Gerais. Uma barragem da mineradora Vale rompeu, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Foram mais de 12 milhões de metros cúbicos de lama que deixaram funcionários da empresa e moradores da comunidade da Vila Farteco submersos no barro que escoou após o rompimento da barragem da Vale.

Até o momento, 134 mortes foram confirmadas, enquanto 199 continuam desaparecidas de acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. O IML (Instituto Médico Legal) confirmou a identificação de 120 corpos. O número de resgatados é 192. As equipes de resgate acreditam que todos os corpos poderão ser resgatados nos próximos dias.

O rio Paraopeba, uma das principais fluentes do Rio São Francisco, também foi coberto pela lama, causando a morte de peixes.

Entre as vítimas está a obreira voluntária da Universal, Roselia Alves Rodrigues Silva, de 36 anos (foto ao lado). De acordo com as autoridades, ela está entre os desaparecidos. Roselia é nutricionista do restaurante, localizado na Vale, um dos locais mais atingidos pelo rompimento da barragem. Ela continua desaparecida.

A justiça de Minas Gerais determinou bloqueios que juntos chegam a R$11 bilhões de reais das contas da Vale. A decisão foi tomada para “imediato e efetivo amparo às vítimas e a redução das consequências” do desastre ambiental. Além disso, a multinacional ainda terá que pagar uma multa de R$250 milhões, aplicada pelo Ibama e outra, de R$99 milhões, aplicada pelo governo do estado.

Prisões realizadas

Na manhã desta terça-feira (29), cinco pessoas foram presas, suspeitas de atestar segurança na barragem que se rompeu. São três funcionários da Vale e Makoto Namba e André Yassuda, dois engenheiros da empresa TÜV SÜD, que prestava serviço à mineradora.

As ordens de prisão são temporárias, valendo por 30 dias. Esse prazo será utilizado pela Justiça para investigar melhor o caso e buscar provas sobre o acontecido.

Os investigadores tentam descobrir, nesse hiato, se houve fraude em documentos técnicos elaborados por empresas que prestam serviço à Vale. Esses documentos são baseados em estudos que atestam ou não a segurança de determinado local. É preciso averiguar se a Vale sabia do risco existente de rompimento da barragem.

Reforço

Na manhã do último domingo (27), um avião com 130 soldados israelenses saiu de Jerusalém, em Israel, com destino ao Brasil. Eles vieram com a finalidade de ajudar nas buscas das vítimas do desastre.  O reforço com  toda equipe, composta por 130 militares médicos, engenheiros, bombeiros e técnicos de Israel, começou nas primeiras horas desta segunda-feira (28). Eles fizeram uma reunião para traçar estratégia de resgate.

Além do reforço de pessoal, Israel também enviou cães farejadores. Incluíram também sonares utilizados em submarinos para localizar pessoas, com alta qualidade de imagens e capazes de detectar vozes e ecos em grandes profundidades. Ao todo, os equipamentos chegam a 16 toneladas.

Solidariedade

Acima de tudo, as vítimas do desastre têm sido amparadas pela solidariedade de pessoas que se sensibilizaram com a situação. A Universal em Minas Gerais, semelhantemente, tem se mobilizado para levar donativos às famílias atingidas.

Cada Universal se tornou, sobretudo, um ponto de arrecadação no estado. Mais de mil voluntários estão dando suporte às famílias. Já foram doados água potável, roupas, alimentos, produtos de higiene pessoal, colchões, travesseiros e cobertores.

“Temos equipes de apoio nos hospitais e alojamentos onde se encontram familiares em busca de notícias para dar suporte espiritual e amparando as pessoas aflitas e desesperadas”, destacou o Bispo Rogério Formigoni, responsável pelo trabalho evangelístico da Universal em Minas Gerais.

Além disso, a Universal ainda tem recebido doações. “Todas as doações que estamos recebendo, neste momento, estão sendo encaminhadas à Defesa Civil para serem distribuídas nos locais de apoio. Nossa equipe se encontra de plantão desde ontem e estaremos aqui à disposição”, concluiu o Bispo.

Leia também: Grupo entrega kits de higiene em presídio do estado do Rio Grande do Sul

Entretanto, a Defesa Civil pediu que cessassem as doações. Pois está tudo sob controle e não há necessidade de mais donativos. Além disso, apesar de muita ajuda e demonstrações de afeto de todo o País, a Polícia Militar (PM) de Minas Gerais identificou a ação de golpistas que criaram falsos canais, inclusive em redes sociais, para roubar as doações às vítimas do local.

Veja algumas fotos da ação da Universal no local:

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Voluntários da Universal fazem doações para vítimas de Brumadinho

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games