A luta contra um câncer no útero e suas complicações

Gilcileide da Silva tomava 50 comprimidos por dia para conter os sintomas da doença. Saiba como ela foi curada ao expressar a fé


Por Kelly Lopes/ Fotos: Demetrio Koch

No início de 2018, a representante comercial Gilcileide Pereira da Silva, de 43 anos, reclamava de fortes dores nas costas. Como esse incômodo permanecia, ela decidiu procurar um ortopedista. Porém, por causa de uma hemorragia repetina, ela acabou trocando de especialista: foi a um ginecologista e ele pediu vários exames para investigar a causa do sangramento. Com os resultados veio o susto: Gilcileide estava com um câncer no útero, diagnosticado como carcinoma espinocelular bem  diferenciado invasivo.

Ela foi medicada com vários remédios tanto para combater as fortes dores que sentia como para estancar o sangramento. Contudo, os sintomas não cessavam e ela ficou internada 15 dias. Para aliviar a dor, era medicada com morfina e outros remédios a cada duas horas. Os medicamentos somavam 50 comprimidos diários.

“Eu sentia uma dor tão forte que parecia que estava sendo esquartejada viva. Meu alimento eram água de coco e remédios. Tudo o que eu comia não parava no estômago.”

O sangramento fez com que Gilcileide desenvolvesse uma anemia profunda, que a deixou ainda mais fraca. Com o avanço do câncer, os médicos a encaminharam para o tratamento quimioterápico. Porém, por causa da ingestão de medicamentos fortes, ela teve diversas reações e não conseguia se alimentar, andar ou mesmo ficar em pé. Acabou perdendo 11 quilos e era levada ao hospital de cadeira de rodas. Gilcileide também acabou tendo feridas no pâncreas e pneumonia. Ela tinha uma aparência frágil e estava muito abatida.

 

A fé que opera milagres

A representante comercial começara a frequentar a Universal pouco antes de receber o diagnóstico do câncer. No entanto, em razão do seu estado de saúde, o único trajeto que conseguia fazer era de casa para o hospital.

“Eu estava me sentindo fraca na fé quando recebi a visita de um casal de evangelistas que me levou para a Igreja na cadeira de rodas. Eu estava com muitas dores naquele dia”, relembra.

Gilcileide revela que tinha aprendido que Deus opera imediatamente milagres se a pessoa crê nEle. Na reunião, ela recebeu orações e bebeu da água consagrada que determinava sua cura. Com essa certeza, ela retornou para casa andando e acreditando que naquele dia tinha sido curada.

Por iniciativa própria e baseada em sua fé, ela decidiu não continuar tomando a medicação. Então, ela assinou um termo de responsabilidade pela desistência do tratamento médico. Porém foi julgada como louca por seus familiares e pessoas próximas. Todos diziam que ela tinha tomado uma decisão insana.

“Comecei a tomar a água consagrada três vezes ao dia. Esse passou a ser meu tratamento e eu já não sentia nenhuma dor. O médico achou que eu estava louca, mas quem ficou confuso foi ele quando repetiu os exames”, diz.
Seis meses após o diagnóstico, os médicos pediram novos exames e o resultado foi surpreendente: Gilcileide estava curada da anemia, das feridas no pâncreas, da pneumonia e, no lugar onde havia o câncer, ficaram apenas as cicatrizes. O médico repetiu os exames mais duas vezes. Ele se mostrou surpreso quando constatou novamente que não havia mais nenhuma doença.

“Eu continuo fazendo o tratamento da fé com a água consagrada e sou a prova de que milagres existem”, finaliza.

 

O câncer uterino

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e do Instituto Oncoguia, o câncer no útero pode acometer mulheres em qualquer faixa etária, sendo mais comum nas que estão na fase da menopausa. Ele pode aparecer em diferentes partes do órgão. O tipo mais comum tem origem no endométrio (parede interna do útero). O sintoma mais frequente é o sangramento vaginal fora  do período menstrual.

Já os cânceres de colo do útero normalmente são de dois tipos: carcinomas de células escamosas, que na maioria dos casos são ocasionados pela presença do vírus HPV; e adenocarcinomas, menos comuns, mas que também podem ocorrer.

Causas: uma das razões para o surgimento do câncer de colo do útero é uma mutação genética nas células da região, que começam a se multiplicar de forma descontrolada.

Sintomas de câncer no colo do útero: inicialmente, ele não costuma apresentar sintomas, sendo somente detectado por exames de rotina. Em casos mais avançados, pode ocorrer sangramento vaginal durante a relação sexual, entre as menstruações ou após a menopausa, corrimento anormal com coloração e odores diferentes do normal, dor na região pélvica ou durante a relação sexual, anemia por causa do sangramento, dores nas pernas ou nas costas, problemas  urinários ou intestinais  e perda de peso.

É indicado ir ao ginecologista anualmente para que seja possível detectá-lo precocemente e ter mais chances de cura.

 

Reunião da Saúde restaurada

Direcionada a quem sofre com alguma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Todas as terças-feiras, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de você.  Para saber os horários, clique aqui

 

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A luta contra um câncer no útero e suas complicações

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games