Bater nos filhos causa transtornos psicológicos

Agressões verbais também desenvolvem graves problemas


Por Andre Batista / Imagem: iStock

Médicos da Academia Americana de Pediatria divulgaram um alerta à comunidade dos EUA informando que bater nos filhos causa transtornos psicológicos. De acordo com os especialistas, mesmo “simples palmadas” podem trazer graves prejuízos a longo prazo.

Entre os principais problemas causados por influência do comportamento agressivo dos pais estão:

– Alterações cerebrais que dificultam o desenvolvimento cognitivo;

– Predisposição ao abuso de substâncias de risco, inclusive vício em drogas;

– Desenvolvimento de comportamento suicida na vida adulta;

– Baixa autoestima e outros problemas psicológicos;

– Raiva descontrolada.

Além de todos esses sintomas, bater nos filhos também causa o aumento da produção de hormônios do estresse.

Com efeito, todos esses problemas apresentam-se não apenas na infância e juventude, como também na vida adulta.

“Embora algumas crianças que foram espancadas tenham se tornado adultos saudáveis, as evidências atuais sugerem que a palmada pode resultar em danos a longo prazo” publicou a Academia.

Humilhar é tão ruim quanto bater nos filhos

O mesmo alerta citado acima também ressalta a importância de os pais manterem equilíbrio verbal ao se relacionarem com seus filhos. Isso porque gritar, xingar e humilhar as crianças também são atitudes prejudiciais à saúde psicológica delas.

De fato, abusos verbais estão diretamente ligados à depressão infantil.

Nesse sentido, a Universidade McGill (Canadá) também publicou estudo realizado recentemente. De acordo com a pesquisa, as crianças que sofrem agressões físicas e verbais dos tutores reproduzem o mesmo comportamento fora de casa. O resultado é uma sociedade mais violenta para as crianças, adolescentes e até mesmo para os adultos.

“Os países onde o uso do castigo corporal é proibido são menos violentos do que os países que não fizeram o mesmo”, afirmou à imprensa o principal autor do estudo, Frank Elgar, do Instituto de Políticas Sociais e de Saúde da McGill.

Esse resultado foi obtido após os autores estudarem mais de 400 mil jovens em 88 países, incluindo o Brasil.

Bater nos filhos educa?

Como ficou demonstrado, bater nos filhos é extremamente prejudicial para a saúde deles. Por certo, também prejudica o comportamento dos mesmos, já que os filhos são espelhos do comportamento dos pais.

De acordo com o escritor Renato Cardoso, esse castigo desequilibrado “tem mais chance de traumatizar a criança, prejudicar, do que ajudar”.

Mesmo que muitos pais acreditem que serem criados dessa maneira fez bem para eles, a verdade é que bater nos filhos ou agredi-los verbalmente “não é algo que pode ser encorajado, porque nós sabemos que existem os excessos. As pessoas, infelizmente, não têm o controle, o domínio necessário na hora da raiva”.

Por mais que pareça educativo, agressão em momentos de cólera somente demonstra à criança que seus pais são descontrolados e desequilibrados. Não lidam bem com emoções como a raiva.

“Muito melhor é que a criança aprenda através da conversa”, orienta o escritor. “O pai tem que ter essa sensibilidade. Não é pegar o método que foi tirado da prateleira. Ou que foi tirado da experiência própria quando ele era criança, quando seus pais o disciplinaram, e aplicar aquilo no filho”.

Para saber mais sobre o assunto clique aqui e leia o artigo completo de Renato Cardoso.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bater nos filhos causa transtornos psicológicos

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games