O que a prisão do “rapper do ano” tem a ver com você

Conheça a história de quem, assim como Tekashi 6ix9ine, cometeu crimes, mas conseguiu se regenerar


Por Andre Batista / Imagem: Reprodução Instagram @6ix9ine

Um dos nomes mais badalados da música norte-americana no momento, o rapper Tekashi 6ix9ine, teve pedido de liberdade provisória negado e deve aguardar julgamento detido. Considerado uma das grandes novidades da música nos EUA, 6ix9ine ganhou estampa nos noticiários sob uma manchete menos preciosa: “Rapper do ano é preso”.

Embora tenha nascido como Daniel Hernandez em 1996, na periferia da cidade de Nova Iorque (EUA), ainda criança ele ficou conhecido como Tekashi 6ix9ine. Criado apenas por sua mãe, viu-se sem condições financeiras para realizar seus desejos. Daniel trabalhou desde os 13 anos de idade, mas nem sempre em empregos honestos.

Ainda adolescente ele foi detido por vender heroína. Envolveu-se com gangues, assaltos, outras drogas e chegou a ser condenado por abusar de uma criança. Nessa situação já era conhecido regionalmente pelo nome artístico Tekashi 6ix9ine. Vídeos provaram que ele, aos 18 anos de idade, tocou impropriamente uma menina de 13 anos nua enquanto outro membro da gangue molestava a criança.

Sua punição foi três anos de liberdade vigiada. Caso praticasse outro crime seria preso. E ele praticou. Em 18 de novembro de 2018 o rapper foi preso por seis acusações. Entre elas: tráfico de drogas, assalto à mão armada e até homicídio. Se condenado, ele pode pegar prisão perpétua.

Muito dinheiro como rapper do ano, mas pouco sucesso pessoal

Tekashi 6ix9ine já tinha uma carreira sólida em Nova Iorque quando, em 2017, foi “descoberto” pelo público nacional. Em pouco tempo alcançou lugar entre os 10 artistas mais tocados do país e recebeu Certificado de Platina pela venda de um milhão de discos.

Fez parcerias com grandes nomes da música americana e ganhou muito dinheiro. Exemplificando: apenas uma casa alugada para a gravação de um videoclipe custou 80 milhões de dólares.

Com todo esse sucesso foi considerado pela crítica como o rapper do ano nos EUA, superando nomes como Wiz Khalifa e Jay-Z.

Mas nem tudo isso o manteve longe do envolvimento com crimes. Detido em um dos presídios mais perigosos do país, 6ix9ine deve ser julgado apenas no final de 2019. Até lá, provavelmente, permanecerá preso.

O rapper do ano é também o músico criminoso de 2018.

Há solução?

Tekashi 6ix9ine deve pagar sua dívida à sociedade que vitimou. Mesmo assim, há solução para o garoto-problema do momento.

O jovem Ualace (vídeo abaixo) também nasceu na periferia de sua cidade. Como a mãe de 6ix9ine, a mãe de Ualace também não tinha dinheiro para atender aos caprichos do filho.

“Eu sempre queria ter uma roupa, um tênis, mas eu não podia ter porque minha mãe não tinha condição. Fui tendo as amizades de adolescência e dali eu comecei a mentir para minha mãe”, conta Ualace.

As mentiras e o desejo de possuir objetos a qualquer custo o levaram às gangues, às drogas e ao crime. Como 6ix9ine, Ualace também foi preso. Entretanto, enquanto cumpria sua pena, Ualace resolveu mudar sua vida.

Assista ao vídeo abaixo e descubra como ele fez isso:

Se para Ualace e tantos outros foi possível mudar de vida, você também pode conseguir.  Visite hoje mesmo a Universal mais próxima de sua casa e participe de uma das reuniões. Há encontros diários e em vários horários.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O que a prisão do “rapper do ano” tem a ver com você

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games