Mês azul para a conscientização masculina

Saiba por que perder o preconceito pode ajudar a salvar sua vida


Por Eduardo Prestes / Foto: Fotolia

Outubro foi o mês rosa. Foram 30 dias dedicados à luta pela conscientização da mulher quanto ao câncer de mama. Agora é a vez do Novembro Azul. Serão quatro semanas em que o foco estará na prevenção ao câncer de próstata. Trata-se de uma oportunidade similar à das mulheres em relação ao câncer e para que o homem se conscientize e cuide corretamente de si mesmo.

Motivos não faltam para a realização dessa campanha. De acordo com as estatísticas, um em cada nove homens será diagnosticado com esse mal durante a vida. Dentre os tumores malignos, o câncer de próstata é a segunda principal causa de morte entre os homens – a primeira é o de pulmão.

Sinal de alerta
O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que em 2019 sejam diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil. De cada 41 homens, pelo menos um morrerá em decorrência da enfermidade. Só esses números já deveriam servir de alerta para que o homem procure se prevenir, mas, na prática, isso não acontece.

Muitos homens esperam o aparecimento de sintomas para buscar ajuda e esse pode ser um erro fatal. Quando identificam algum sinal, como jato da urina mais fraco ou urinar a todo o momento, decidem ir a um urologista. Contudo esse tipo de indício pode significar que o câncer de próstata já está em estágio avançado, inclusive sem possibilidade de cura.

Exames
Uma das formas para verificar a existência da doença é o exame de PSA. Mesmo não sendo específico para o câncer, mas para a avaliação da próstata – que pode aumentar de tamanho por diversos fatores, como uma inflamação, por exemplo –, ele pode mostrar se há algum indicativo da doença.

Outro exame que não substitui o anterior é o de toque retal. Se nele for percebido o endurecimento ou qualquer alteração da próstata, há a possibilidade de que seja câncer. Os médicos recomendam que quando há histórico familiar (o pai, o irmão ou o tio tiveram câncer de próstata) o exame de toque retal seja feito a partir dos 40 anos e, caso não haja incidência familiar, aos 45 anos.

Noção errada
Embora as visitas regulares ao urologista depois dessa idade também sejam indicadas, o homem tem resistência em fazer o exame de toque retal e se prevenir. Para mais de 20% dos brasileiros fazer esse exame não é uma atitude masculina. Equivocadamente, um em cada cinco homens acredita que essa forma essencial de detectar precocemente a doença fere suas noções de masculinidade.

Mas a verdade é que a manutenção desse preconceito pode abreviar a vida ou causar problemas permanentes para o homem.

Ação simples
Se você preza sua vida, adote uma ação simples: não deixe de se prevenir. Como a maioria dos tumores iniciais de próstata não apresenta sintomas, a prevenção é o melhor caminho para que esse tipo de mal seja tratado ainda no começo.

Se você é um homem inteligente, já percebeu que se preocupar com sua saúde e se cuidar, seja fazendo o exame de toque, seja por meio de outro procedimento, não afeta a sua masculinidade.

A campanha de conscientização Novembro Azul é importante, mas é apenas um lembrete de como o homem deve conduzir a sua saúde durante toda a sua vida. O exame é rápido. Quanto antes for feito, melhor para a sua saúde. Não deixe que o preconceito infundado acabe com a sua vida.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mês azul para a conscientização masculina

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games