As consequências da inalação de substâncias tóxicas

Conheça a história de Jacilene Marques, que teve as vias aéreas comprometidas depois de um acidente


Por Maiara Máximo/ Fotos: Marcelo Alves e Arquivo Pessoal

A cuidadora de idosos Jacilene Marques, de 32 anos (foto a esq.), foi vítima de um acidente de trabalho em junho de 2015. Quando trabalhava em uma barraca de fast-food em um evento, ocorreu uma explosão quando ela ligou uma das chapas que fazem lanches. Ela foi encaminhada imediatamente para o hospital mais próximo, onde recebeu os primeiros socorros.

Lá, foi constatado que ela tinha sofrido queimaduras de terceiro grau nas mãos, nos braços e no rosto. Entretanto, ela precisou ser transferida para um hospital com mais recursos. No trajeto, a cuidadora teve um mal-estar dentro da ambulância e perdeu a consciência. “Eu só lembro que quando entrei na ambulância senti uma ardência forte no rosto e não conseguia mais respirar direito. Depois disso, apaguei”, conta.

Diagnóstico
Assim que chegou ao hospital, Jacilene foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Depois de alguns exames, foi diagnosticado que, além das queimaduras, a jovem estava com as vias aéreas comprometidas pelo fato de ter inalado fumaça durante a explosão.

Segundo o otorrinolaringologista Jamal Azzam, todo tipo de inalação de substâncias tóxicas pode lesar as vias respiratórias, como o nariz, os seios da face, a garganta, laringe, traqueia, os brônquios e até os pulmões. “A irritação pode gerar feridas e irritações agudas, ou seja, de ação imediata do agressor, ou crônicas, como ocorre em fumantes ou trabalhadores que atuam em ambientes poluídos. No caso de acidente doméstico, pode causar intoxicação aguda e risco de morte.”

O especialista explica qual é o melhor tratamento: “na maioria das vezes, o tratamento é de suporte da respiração por meio de inalações, medicamentos inalatórios, antibióticos, corticoides, broncodilatadores e anti-inflamatórios. Contudo, em alguns casos, é necessária a internação e até a transferência para a UTI, onde pode ocorrer inclusive a intubação orotraqueal ou até a traqueostomia.”

Foi o que aconteceu com Jacilene, que precisou de ajuda de aparelhos para poder respirar. O médico que a atendia informou a família que o quadro de saúde dela era grave e que, provavelmente, ela ficaria com sequelas para o resto da vida, como problemas na fala ou dificuldades para respirar.

No período que Jacilene estava internada, um evangelista da Universal que a conhecia soube do ocorrido e passou a visitá-la. “Nos primeiros dias de internação, eu segui inconsciente. Acordei no quarto dia e minha mãe informou que um evangelista da Igreja ia todos os dias no leito. Ele levava a gota do milagre e determinava a minha cura.” Ela lembra que, na época, frequentava esporadicamente as reuniões na Universal.

Nova chance
Jacilene relembra que o tempo que ficou no hospital a fez refletir. “Eu ficava pensando o que seria da minha vida e começava a chorar incontrolavelmente. Quando tomei consciência do que realmente havia acontecido comigo, eu só queria que Deus me desse uma nova chance, pois eu frequentava a Igreja, mas não tinha entregado a minha vida totalmente no Altar.”

A partir daquele dia, ela começou a lutar com Deus pela sua saúde e fez uso da água consagrada que o evangelista levava. Logo começou a apresentar melhoras.

Depois de 13 dias de internação, Jacilene recebeu alta. Mesmo sendo orientada a não sair de casa até que estivesse totalmente apta, ela sabia que não podia esperar para agradecer a Deus pelo milagre de estar viva. “Na mesma semana que tive alta, decidi ir à Universal mais perto de casa. Chegando lá, entreguei a minha vida a Deus diante do Altar. Eu não conseguia falar por conta da intubação e apenas orei mexendo os lábios, mas com a certeza de que era aquilo que eu realmente queria.”

Aos poucos, Jacilene voltou a falar sem auxílio de nenhum tipo de tratamento e logo conquistou uma família. Ela, que era mãe solteira, se casou há dois anos com José Orlando dos Santos Oliveira, de 29 anos, e hoje integra com ele o grupo de evangelização da Universal.

A cuidadora afirma que sua vida foi transformada em todas as áreas. “Deus restaurou a minha saúde e a minha alma”, conclui.

Reunião da Saúde restaurada

Direcionada a quem sofre com uma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Todas as terças-feiras, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de você. Para saber os horários, acesse aqui.

* A Universal ensina a prática da fé espiritual associada ao tratamento médico recomendado a cada paciente

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

As consequências da inalação de substâncias tóxicas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games