A Carpintaria, a profissão do Senhor Jesus na Terra

Saiba mais sobre um dos trabalhos mais antigos da humanidade, que é citado na Bíblia


Por Por Marcelo Rangel / Foto: iStock

A especialidade profissional do Senhor Jesus era muito importante nos tempos bíblicos, quando era comum que os filhos herdassem a profissão dos pais. Ele, que humildemente nasceu entre os homens, encarava com dedicação e perícia seu trabalho cotidiano.

A Bíblia cita a profissão não só no que se refere ao Messias, mas também quando fala da construção do Templo de Salomão e mesmo antes, quando Deus mostrou a Moisés os detalhes do projeto do Tabernáculo, com estrutura e mobiliário de acácia (madeira mais encontrada nas proximidades daqueles desertos). Voltando mais ainda, em Gênesis, Noé também teve de dominar essa arte ao construir a arca com que enfrentou o dilúvio.

Não em raras vezes, os próprios carpinteiros extraíam da natureza a madeira necessária, derrubando as árvores. Depois tornou-se mais comum que a adquirissem de terceiros, ao longo da transição da vida nômade para a agrária e, na sequência, para a urbana.

Geralmente as oficinas eram na própria casa do carpinteiro, que, de acordo com o tamanho da empresa, podia ter funcionários ou receber a ajuda de parentes (caso de José e o Senhor Jesus). Muito do que os carpinteiros faziam era importante a qualquer família, rica ou pobre. Além das estruturas mais sólidas e mesmo das antigas tendas, produziam e forneciam objetos como móveis, carroças, carruagens, rodas, estacas, ferramentas agrícolas (jugos, arados, forcados, ancinhos, etc.) e utensílios domésticos (como móveis, baús, tigelas, copos torneados, talheres e pás).

Ferramentas

A madeira era beneficiada de acordo com a necessidade (vigas, ripas e tábuas). As formas desejadas eram conseguidas com a ajuda de ferramentas rústicas como a enxó,semelhante a um pequeno machado, para esculpir a madeira tirando-se pequenas lascas. As toras também podiam ser serradas no comprimento, com serras primitivas. Acabamentos mais lisos eram conseguidos com a ajuda das plainas.

Os primeiros machados metálicos eram feitos de bronze, por sua rigidez, e mais tarde de ferro, presos a um cabo de madeira – o que necessitava de muita perícia para que não se soltasse e causasse acidentes (Deuteronômio 19.5). As ferramentas eram caras e era necessário muito cuidado para não perdê-las ou danificá-las (2 Reis 6.1-5).

De início, os dentes das serras usadas nos tempos bíblicos eram feitas de pedra de pederneira (de grande rigidez, como as de isqueiros ou de antigos fuzis, que soltam faíscas no atrito com metal), lascadas, presas a uma peça de madeira, e produziam um corte mais tosco, rústico. Com o domínio do metal, as serras passaram a ter dentes mais precisos, para cortes mais elaborados. Isaías cita outras ferramentas comuns ao ofício (44.13): régua, marcador, plaina e compasso.

Famosos peritos

A perícia dos carpinteiros de Tiro, cidade famosa pela construção naval com tecnologia de ponta para a época, era bastante conhecida. Foram eles que ajudaram na construção do primeiro templo (1 Crônicas 14). Além da parte estrutural, dominavam arte dos enfeites e detalhes como a instalação de painéis, marchetaria e revestimentos de qualidade invejável. Nessa ocasião, transmitiram bastante de seus conhecimentos para os judeus.

Curiosamente, o mais famoso carpinteiro da história foi sacrificado com o auxílio de um objeto produzido pela carpintaria. O Senhor Jesus deu Sua vida para salvar toda a humanidade pregado numa forte e pesada cruz de madeira.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Carpintaria, a profissão do Senhor Jesus na Terra

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games