Quando o perfeccionismo se torna um problema



Por Por Janaina Medeiros / Foto: Fotolia

Você confere diversas vezes seus trabalhos antes de entregá-los? Ficaria desesperado se chegasse cinco minutos atrasado em uma reunião? Tem dificuldade para delegar tarefas? Gosta de fazer tudo certinho para não receber críticas? É capaz até de chorar se deixar queimar o arroz? Se você respondeu de forma afirmativa a quase todas essas perguntas, é bem provável que você seja perfeccionista.

O esforço constante por melhores resultados causa impactos positivos na vida. Afinal, a pessoa que busca o melhor é dedicada, cuidadosa, determinada e gosta de se desafiar. Com isso, garante bons frutos em diversas áreas.

O problema é que, em muitos casos, o perfeccionismo deixa de ser saudável e se torna uma obsessão. “Os profissionais que buscam a excelência enxergam os erros como oportunidade de crescimento. Já o perfeccionista não aceita suas falhas e nunca se acha bom o suficiente. Em vez disso, ele se julga, se critica e exige resultados inatingíveis”, compara o psicólogo social César Lucas Satto.

O especialista explica que o nível excessivo de perfeccionismo pode estar relacionado com a ansiedade. A pessoa que tem mania de perfeição sente tanto medo de fracassar que antecipa suas preocupações quanto aos seus resultados. “Quem tem essa característica fica ansioso sobre o que os outros vão achar de sua performance. Por isso, sempre está se sentindo ameaçado.”

Muitas vezes, o receio de errar é tão grande que ela evita passar por diversas situações, o que acaba gerando estagnação e prejudicando o seu desempenho no trabalho. “Na tentativa de entregar aquilo que para ela é a perfeição, ela acaba adiando suas atividades por mais tempo que o necessário e fica manchada por não cumprir prazos”, argumenta.

Consequências

Por ser inflexível e teimoso, o perfeccionista acaba inviabilizando a convivência social e profissional. O terapeuta Décio Alves Nogueira justifica que ele acaba sendo exigente com os colegas na mesma medida que é consigo mesmo. “Esse tipo de pessoa nunca consegue passar tarefas aos outros porque sempre acha que ninguém as faz melhor do que ele”, aponta.

Como teme a desaprovação dos outros, sente, muitas vezes, dificuldade de expor ou mostrar sua vulnerabilidade. Por isso, dificilmente compartilha suas experiências, inclusive com seu cônjuge. Além disso, o perfeccionista pode demonstrar arrogância em suas atitudes, o que acaba afastando ainda mais as pessoas.

E não é só nos relacionamentos e no trabalho que o perfeccionismo exagerado produz diversas consequências negativas, comenta Nogueira. “A pessoa fica muito frustrada por não conseguir atingir a perfeição que gostaria, o que acaba afetando a sua autoestima.”

Essa característica também pode trazer danos à saúde. “Se algo não sai do seu jeito, a crítica lhe causa mau humor, conflitos, mágoas, entre outros sentimentos que podem ser gatilhos para doenças como síndrome do pânico, depressão e compulsões, por exemplo”, descreve o terapeuta.

Como combater

O primeiro passo é reconhecer que seu perfeccionismo o atrapalha. Em seguida, é preciso ter algumas atitudes capazes de mudar esse comportamento. “Em primeiro lugar, seja autêntico. Deixe que os outros lhe vejam como você realmente é passe a expressar a sua vulnerabilidade”, recomenda Nogueira.

Entenda que para alcançar o sucesso é importante estar sempre em constante aprendizado, porque fazer tudo certo o tempo todo e em todas as áreas é uma tarefa muito difícil. “Não fique se culpando. Em vez disso, procure saber quais são as causas de seus erros e busque sempre fazer o melhor, mas sem cobranças inatingíveis”, instrui o terapeuta.

Não conseguimos alcançar a perfeição, pois, como seres humanos, somos falhos. Temos tantas fraquezas que Deus nos enviou Seu Filho Jesus Cristo para nos salvar dos nossos pecados.

Isso não quer dizer que você será benevolente com seus próprios erros, mas que vai vigiar para estar sempre se aprimorando.

Conscientize-se de que nunca será possível agradar a todos e busque sempre se colocar no lugar do outro para entender diferentes pontos de vista. Dessa forma, quando houver opiniões que nem sempre são favoráveis a você, use-as como subsídios para o seu aperfeiçoamento.

Então, quando for realizar algo, não fique preocupado com o que as pessoas vão achar da sua performance. Busque orientação na Palavra de Deus, espere o feedback das pessoas, dê o seu retorno e continue sempre se esforçando.

9 sinais de que seu perfeccionismo é prejudicial

1 – Tenta impressionar os outros com seu desempenho

2 – Tem medo de errar, de se arriscar e de se decepcionar

3 – Critica os outros constantemente

4 – Sente dificuldade de se abrir com outras pessoas

5 – Fica na defensiva quando é criticado

6 – Nunca acha que atingiu totalmente o objetivo

7 – Evita novos desafios para não se frustrar

8 – Quer provar suas habilidades constantemente

9 – Sente necessidade de estar no controle da situação

Fonte: César Lucas Satto (psicólogo social)

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Quando o perfeccionismo se torna um problema

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000

Free WordPress Themes, Free Android Games