“Só Deus sabia o que eu passava naquele quarto”

Insônia e tormentos marcaram a adolescência de Ester. Hoje, a situação é bem diferente

Por Por Flavia Francellino/ Fotos: Demetrio Koch

Boa parte da adolescência de Ester Macedo, de 18 anos, foi marcada por raiva e sentimentos destrutivos, como a vontade de morrer. Aos 13 anos, ela já havia se tornado uma pessoa nervosa e descontrolada. “Eu assistia a vídeos de morte e jogava games violentos. Gostava daqueles que tinham cenas com sangue e esfaqueamento. Isso me dava prazer. Nessas situações, sentia gosto de sangue na boca. Chegava a morder a boca por dentro para sentir mais ainda o gosto”, recorda.

Anos antes, Ester viu a relação entre os seus pais esfriar. Eles se distanciavam cada vez mais. Mas a questão que, aparentemente, tinha um cunho familiar era, na verdade, totalmente espiritual. “Aos 11 anos passei a não dormir mais, tinha pesadelos, via vultos, ouvia vozes. Tinha muito pavor. Muitas vezes acordava gritando e suada. Cheguei a ver a fechadura e a porta do meu quarto se mexerem. Quando abri para ver quem era, não tinha ninguém. A casa era grande, os quartos distantes um do outro e eu dormia sozinha”, conta Ester, que chegou a ser levada para o hospital por causa da insônia.

Como se não bastasse a insônia, ela passou a ter ataques convulsivos constantes.

Reviravolta

“Apesar de alguns problemas, tive uma infância feliz e uma boa educação. Minha mãe supria todas nossas necessidades. Mesmo assim, eu era infeliz, chorava todas as noites. Mas, quando me perguntavam como eu estava, eu sempre falava que estava tudo bem. Só Deus sabia o que eu passava naquele quarto.”

Dentro dela havia uma grande confusão de sentimentos, mas também havia uma semente. Isso porque, em sua infância, ela chegou a conhecer a Universal, juntamente com suas irmãs mais velhas. Ela decidiu voltar para a Igreja no início de 2013. “Foi quando tomei a decisão de buscar por minha libertação. E foi o que aconteceu em quatro, cinco meses. Eu me libertei totalmente”, recorda.

Com a transformação que aconteceu, ela segue livre desde então. “Posso dizer que sou transformada em todos os sentidos. Sou uma pessoa que pensava que a morte era a melhor solução. Hoje tenho vida, paz, sou completa. Tenho a direção de Deus em tudo o que faço e forças para enfrentar as lutas do dia a dia usando a fé. Meu comportamento mudou, assim como minha maneira de pensar”, define Ester.

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Só Deus sabia o que eu passava naquele quarto”

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games