A proteção que você precisa

Habitar no Esconderijo do Altíssimo lhe dá a segurança para superar os problemas e alcançar as bênçãos. Inspire-se nos exemplos a seguir e aprenda como fazer o mesmo

Por Por Janaina Medeiros/ Fotos: Fotolia e Demetrio Koch

O ano de 2018 chegou e com ele também vieram as incertezas sobre como ele será para a vida dos 207 milhões de brasileiros. Nos noticiários, os especialistas são categóricos em dizer que será um ano difícil, tendo em vista a turbulência econômica, a sucessão de escândalos políticos e o cenário imprevisível diante das eleições presidenciais.

No final de 2017, o desemprego no País atingiu o índice mais alto da história, com mais de 12 milhões de brasileiros sem ter um trabalho formal que lhes dê condições de sustentar sua família.

Além disso, muitas empresas encerraram suas produções, mesmo após anos de existência. Só no Estado de São Paulo, mais de 4.400 fábricas fecharam suas portas e mais de 3.500 fabricantes paralisaram suas operações.

Com isso, mesmo aqueles que têm o desejo de ter um negócio próprio estão com medo de empreender. “O brasileiro se sente um pouco perdido no meio desse cenário duvidoso, porque não sabe por onde começar, como investir e muitas vezes nem como pedir ajuda”, afirma o educador financeiro Carlos Campos Alter.

Mudar de área também é um desafio aterrorizante para a maioria das pessoas que há tempos está à procura de um novo emprego. “A pessoa fica meses ou anos desempregada, pensa até em fazer cursos em outras áreas, mas tem medo de investir em algo que ainda não lhe dá garantia de que isso vai fazê-la prosperar”, comenta o profissional.

De acordo com especialistas, a taxa de desemprego deve cair nos próximos meses, mas ainda haverá precariedade na criação de novos postos de trabalho.

No campo da economia, o Brasil ainda estará se recuperando das recessões gigantescas pelas quais passou nos últimos anos e a ampliação de investimentos no mercado ainda acontecerá vagarosamente.

Com base nisso, não só o aspecto financeiro de uma pessoa e de sua família é afetado. As consequências acabam sendo desastrosas também em outras áreas da vida. Um casal, por exemplo, fica mais propenso a brigas e desentendimentos. A pessoa que está endividada, por não conseguir dormir direito, fica mais irritada, se sente mais ansiosa e pode desenvolver algum problema de saúde. “Sabe-se que muitas doenças crônicas, como dor de cabeça, são decorrentes de problemas financeiros. Muitas pessoas, inclusive, entram em depressão porque estão ‘doentes’ nas áreas profissional e econômica”, argumenta o especialista.

Por isso, o brasileiro precisará saber lidar com as situações adversas causadas pela crise econômica. “As pessoas devem se preparar para não ficarem vulneráveis aos percalços relacionados à economia do Brasil e suscetíveis aos problemas”, destaca o educador financeiro.

Como se preparar?

O medo de muitos brasileiros que viveram no último ano em uma situação instável é de que a vulnerabilidade econômica e profissional se repita em 2018.

Em uma recente reunião no Templo de Salomão, o bispo Edson Costa (foto abaixo) informou que muitas pessoas têm investido em suas áreas, mas, em vez de virem o retorno desse investimento, viram apenas problemas. “Às vezes você plantou o ano todo de 2017, mas por algum motivo os inimigos da colheita impediram que a semente crescesse e desse fruto e o que era para acontecer na sua vida não aconteceu.”

Ele explicou que os inimigos da área profissional e financeira de uma pessoa correspondem a tudo aquilo que a prejudicou: “as pragas vieram e, porque a pessoa não soube administrá-las, comprometem toda a colheita”.

Diante da insegurança, do medo e do desespero, só há uma coisa a fazer: proteger-se desses “inimigos”. Para que essas pragas da crise econômica não consigam afetar a vida da pessoa tal como afeta uma plantação, é necessário que ela esteja protegida pelo Criador, no Seu Esconderijo. “O Altar representa o Esconderijo do Altíssimo. A Bíblia diz que quem tem a vida nesse Altar habita nesse Esconderijo e garante uma série de promessas descritas no Salmo 91. Não é quem visita esse Esconderijo, mas quem habita Nele”, afirmou o bispo.

Ao estar sob a proteção de Deus, os problemas que parecem insuperáveis serão superados e ainda é possível conseguir transformar o pior momento da sua vida na melhor fase. “Quando olhamos para todos os lados e enxergamos problemas só há uma alternativa: olhar para o Alto. Quando a pessoa faz isso, ela consegue descansar à sombra do Onipotente. Só Ele é capaz de oferecer a segurança para enfrentar um ano difícil como este e ficar livre de todo mal”, destacou.

O refúgio

Quando a pessoa está abrigada por Deus não fica abatida com os problemas financeiros decorrentes da crise. Aquele que habita no Esconderijo do Altíssimo O tem como refúgio diante de uma situação difícil, como aconteceu com o piloto de jato Jutaí Souza da Silva, de 50 anos (foto abaixo).

Durante 15 anos, ele trabalhou em uma empresa multinacional na área de aviação e tinha um currículo invejável. Formou-se em Administração e também como piloto de linha aérea, fez pós-graduação em gestão empresarial e estudou alguns idiomas, o que o levou a conquistar um cargo de confiança como comandante de jato. Mas, com a crise econômica do Brasil, em 2015, ele perdeu o emprego.

No início, ele achou que logo iria se recolocar no mercado de trabalho, em razão de seus estudos. Contudo, não foi o que aconteceu. “Eu sempre procurei me preparar para o mercado, mas isso não foi suficiente para vencer o desemprego”, garante.

Jutaí ficou vários meses tentando conseguir um novo trabalho e foi a várias entrevistas de emprego, até mesmo fora do Brasil. Mas as portas não se abriam para ele. “Tive propostas de trabalho na China, no Qatar, na Turquia, mas não deram certo.”

Diante dessa dificuldade, somente a proteção de Deus seria capaz de deixá-lo seguro. Por isso, Jutaí buscava sempre habitar no Esconderijo do Altíssimo para superar essa adversidade. “Durante dois anos de desemprego permaneci firme com Deus, fazendo meus propósitos com Ele. Ia às reuniões de quarta-feira e domingo para buscar o Espírito Santo; aos sábados no Jejum das Causas Impossíveis; e também às segundas-feiras no Congresso Empresarial. Mas sempre priorizei a minha vida espiritual com Deus e fui ganhando almas para o Reino dEle”, assegura.

Certo de que estava sob o abrigo de Deus, ele sabia que era apenas uma questão de tempo para que Deus restituísse sua vida profissional. “Estou na presença de Deus há 15 anos e, mesmo com a crise econômica, eu confiei nas promessas dEle. Permaneci no Esconderijo do Altíssimo durante as dificuldades. Sempre tive certeza de que Ele me daria a vitória, pois permaneci fiel e obediente à Sua Palavra.”

Então, em julho de 2017, ele conquistou um novo emprego em uma empresa multinacional bem conceituada no Brasil e no mesmo cargo. “Não atribuí essa conquista aos meus conhecimentos, mas sim a Deus. O meu relacionamento com Ele sempre foi e continuará sendo o primeiro, pois é por meio dEle que tenho a direção para alcançar os meus objetivos”, testemunha.

Sem crise

No ano passado, abrir um negócio próprio em meio à crise econômica do País não era uma atitude bem-vista por muitas pessoas. Mas não era assim que pensava a nutricionista Kátia Nobre, de 36 anos (foto abaixo).

Ela sonhava havia dez anos em ter uma franquia de doces. Entretanto, sempre se questionava se conseguiria abri-la, tendo em vista o alto custo do empreendimento. “Enviei e-mail perguntando o custo e todos os processos para a aquisição de uma unidade. Ao receber a resposta, disse a mim mesma: ‘isso não é para mim’. Mas os anos foram passando e o brilho de ter essa empresa nunca se apagou”, declara.

Em 2017, ela teve uma surpresa: um casal de amigos a convidou para fecharem uma sociedade e colocarem o sonho em prática, sem que ela precisasse investir nenhum capital. “Eu havia me colocado à disposição para assessorá-los, pois já tinha experiência na área. Mas a minha amiga disse que o negócio era para nós duas cuidarmos e que seria 50% para cada uma. Então, questionei se a minha parte seria liquidada com a entrada do faturamento e assim batemos o martelo e o negócio foi fechado”, explica.

Kátia considera que o fato de habitar no Esconderijo do Altíssimo foi responsável por fazê-la realizar esse sonho. “Eu não tinha condições financeiras para levantar o capital para investir. Mas com Deus muitas respostas ocorrem de uma forma bem diferente”, analisa.

Ela conta que durante 17 anos sempre esteve sob o abrigo de Deus, buscando viver em Seu Altar e, que, por isso, Ele tem lhe abençoado mesmo diante das dificuldades. “Quanto mais nós nos entregamos para Deus, mais Ele também se entrega para nós”, ressalta.

A vida dela nunca esteve afetada pela situação econômica do País porque ela sempre priorizou o relacionamento com Ele. “Este ano tão temido e falado de crise financeira eu não vi na minha vida. Foi um ano de conquistas, de negócio próprio, do carro zero-quilômetro, de viagens com o marido, porque com Deus não existe crise. Estar com a vida no Esconderijo do Altíssimo é não temer nada nem ninguém”, comemora.

Livre das ciladas

Deus deixou inúmeras promessas de proteção para as pessoas que habitam em Seu Esconderijo, como está descrito no Salmo 91. Contudo, aqueles que não estão abrigados nEle estão sujeitos a todos os males deste mundo e vulneráveis às situações ruins.

O empresário, apresentador e cantor Fábio Meneses, de 46 anos (foto abaixo), viu o quanto é possível ser atingido pelos problemas financeiros quando não se está no Esconderijo do Altíssimo.

Ele ganhou muito dinheiro e conquistou oportunidades no campo profissional, por trabalhar há 20 anos no ramo de televisão e ser conhecido no universo musical. No entanto, não vivia sob o abrigo de Deus.

Então, não demorou muito para que ele fosse afetado por algumas ciladas financeiras e acabasse perdendo tudo o que tinha. “Perdi meu programa na TV. Fiquei devendo R$ 1 milhão, com 190 cheques devolvidos e 40 protestos. Morava de favor, não tinha carro e estava falido ”, conta.

Nessa época, ele conhecia a Palavra de Deus, mas, como era orgulhoso, não aceitava que deveria se colocar diante de Seu Altar para que Ele pudesse dirigir a sua vida e protegê-lo dessas dificuldades. Em vez disso, agia conforme os seus pensamentos. “Eu passei sete anos na igreja colocando tudo o que ouvia em dúvida, mesmo passando por problemas financeiros e sabendo que isso poderia mudar. Achava que o Altar estava falido. Então, acabei sendo envergonhado pela minha própria falta de fé”, lamenta.

Até que um dia, mesmo em meio às dificuldades financeiras, ele entendeu que precisava se entregar definitivamente a Deus para que Ele o livrasse daquela difícil situação. Decidiu habitar no Esconderijo do Altíssimo entregando-se em Seu Altar e passou a fazer do Senhor o seu parceiro na área profissional.

Ele conta que a primeira mudança que ocorreu foi em seu caráter. “Passei anos só brincando com Deus, porém passei a obedecer o que ouvia e a praticar, sem jamais questionar a voz dEle.”

A partir daí, Deus foi restaurando o que ele havia perdido. Recentemente, ele conseguiu sucesso com uma banda que havia montado e também com músicas que ele próprio havia lançado. “Com a banda, alcançamos mais de 1 milhão de CDs e DVDs vendidos e 149 milhões de acessos no YouTube. E tenho vários hits meus cantados por diversos artistas.”

Além disso, Fábio conseguiu novamente garantir seu espaço na televisão. “Acabo sendo considerado como a maior referência na TV nordestina com meu programa e, agora, recebi seis horas diárias de programação em um dos maiores canais esportivos do País. Isso só realmente Deus é capaz de fazer”, testemunha.

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A proteção que você precisa

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games