“Eu tinha 1% de chance de voltar a andar”

Um grave problema de coluna comprometeu os movimentos das pernas de Adaílton dos Santos, que ficou dois anos em uma cadeira de rodas

Por Por Michele Francisco/ Fotos: Marcelo Alves e Cedidas

O autônomo Adaílton dos Santos, hoje com 45 anos, passou a ter dores nas costas durante o trabalho. Elas aumentaram e ele começou a ter problemas de locomoção. Quando decidiu procurar ajuda médica já era tarde demais: ele não conseguia mais andar.

Ele perdeu a sensibilidade dos membros inferiores e precisou ser internado. Estava com um grave problema de coluna e os médicos tentariam diminuir o que parecia ser uma inflamação. Mas o quadro era mais grave do que a equipe imaginava.

Como a situação era bem delicada, os médicos o levaram para a cirurgia, na tentativa de descomprimir a medula e reverter o problema. “Saí da cirurgia com o diagnóstico de paraplegia e eles falaram que eu não voltaria mais a andar. Eu só tinha 1% de chance disso acontecer”, diz.

Adaílton estava com três hérnias de disco na coluna lombar e uma delas comprimiu a medula, o que causou a perda do movimento dos membros inferiores.

Ele passou 23 dias internado e em recuperação, mas saiu do hospital em uma cadeira de rodas. “É a pior sensação que o ser humano pode ter na face da Terra. Você quer mexer as pernas e não consegue, quer levantar e não pode. Eu ainda tinha que usar fraldas”, lembra.

Ele frequentava a Universal havia 26 anos e foi a fé que o ajudou a se manter firme e confiante. “O médico disse que eu não andaria mais, mas aquelas palavras entraram nos meus ouvidos, mas não na minha cabeça. Eu nunca aceitei aquelas palavras. Eu coloquei dentro de mim a certeza de que eu voltaria a andar novamente”, relata.

Para Adaílton, aquele período foi de grandes batalhas. Além da saúde, sua vida financeira também ficou abalada, pois ele perdeu o emprego e ficou dependendo das pessoas. “A minha esposa foi fundamental nesse momento, sempre cuidando de mim e fortalecendo a minha fé. Foi uma fase complicada, pois eu me sentia impotente quanto a tudo, até com relação à fé. Se não tomarmos cuidado, é muito fácil desanimarmos”, conta.

Os médicos continuaram a fazer o tratamento com medicamentos e fisioterapia. Além disso, Adaílton continuou frequentando as reuniões de cura sempre que possível. Quando ele não conseguia ir, a família participava por ele. Todos estavam unidos em propósitos e orações para que Deus manifestasse o milagre na vida dele.

Foram dois anos em uma cadeira de rodas, fazendo as sessões de fisioterapia, seguindo as orientações dos médicos e colocando em prática o que aprendia nas reuniões. “Cheguei a pensar que ficaria realmente paraplégico, já que durante dois anos eu não senti nada, nenhum resultado ou melhora.”

As esperanças se renovaram quando ele teve um pequeno sinal de evolução: conseguiu mexer o dedão do pé direito. Com mais esforço e determinação, passou a mexer os outros dedos e logo o pé também se movia. Alguns dias depois, ele começou a usar o andador e a dar os primeiros passos.

Seis meses depois, ele já caminhava sozinho. Aquilo que era impossível para os médicos para Deus era possível. Os especialistas reconheceram que o que aconteceu com Adaílton foi um milagre. Hoje, ele trabalha como autônomo, faz suas atividades normalmente e mantém a fé fortalecida e inabalada.

Hérnia de Disco

De acordo com informações do Hospital Sírio-Libanês, a hérnia de disco ocorre pelo fato de os discos localizados entre as vértebras que formam a coluna espinhal saírem da sua posição normal e passarem a comprimir as raízes nervosas, causando pressão sobre elas e, consequentemente, dor. O desgaste pelo tempo e a genética estão entre as causas principais da hérnia de disco lombar, mas forçar as costas para levantar peso excessivo também pode ser um desencadeador desse problema, assim como o tabagismo.

O diagnóstico é feito com avaliação clínica e exames de ressonância magnética ou tomografia. O tratamento, recomendado apenas nos casos em que há dor, pode ser medicamentoso ou cirúrgico.

CURA

Muitas pessoas fazem e recebem orações para tratar doenças incuráveis nas reuniões de cura e libertação da Universal. As correntes acontecem todas as terças-feiras, em todo o Brasil. Veja o endereço da Universal mais próxima em universal.org/enderecos .

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Eu tinha 1% de chance de voltar a andar”

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

[recaptcha]

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games