Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 11 de outubro de 2012 - 08:56


Dízimos e Casamento



Do ponto de vista da fé natural, os dízimos não têm nada a ver com o casamento.
Porém, do ponto de vista bíblico ou da fé sobrenatural, os dois caminham juntos.
Os dízimos são o princípio do relacionamento com Deus.
São as primícias, primeiros frutos ou primeiro de tudo na vida colocados no altar como reconhecimento da soberania do Senhor Jesus em nossa vida.
São o sinal da aliança, pacto ou casamento com Ele.
Aliança no dedo simboliza compromisso assumido com alguém. Da mesma forma, os dízimos simbolizam compromisso com Deus e tipificam Jesus, Mediador da Nova Aliança entre o Criador e a criatura. Hebreus 9.15; 12.24.
O dizimista torna-se o próprio dízimo da mesma forma como Jesus foi o Dízimo de Deus para a humanidade. Jeremias 2.3
Dízimos e ofertas foram a condição imposta para os filhos de Jacó retornarem para Deus.

“…voltai-vos para Mim, e Eu Me voltarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Como havemos de voltar?
Roubará o homem a Deus? Todavia, vós Me roubais e dizeis: Em que Te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.
Com maldição sois amaldiçoados, porque a Mim me roubais, vós, a nação toda.”
Malaquias 3.7-9
Os dízimos estabelecem parceria com o Senhor dos Exércitos.
Além disso, o dizimista prova para si, para o mundo e para o autor da maldição que sua Fé no Deus Vivo não é uma farsa.
Não tem jeito, quem quiser o Selo de Deus, o Penhor do Espírito, a Paz, a Alegria, o Amor e a Vida tem de aliar-se com o Altíssimo Deus de Abraão, a partir da fidelidade nos dízimos.
Do contrário, vai continuar vivendo por viver, de forma medíocre.


reportar erro