USA
 

3 defeitos dos quais você deve fugir no relacionamento

E 3 qualidades para cultivar

Construir um relacionamento não é fácil. É trabalhoso encontrar alguém para compartilhar a vida e ainda mais trabalhoso manter essa relação sobre uma base sólida. Por isso, o Portal Universal.org separou 6 características às quais você deve prestar atenção na hora de conhecer alguém. Três delas trazem benefícios ao casal, mas as outras 3 devem ser evitadas a todo custo. Verifique se ele ou ela é:

1- Orgulhoso (a)

Uma pessoa orgulhosa naturalmente é egoísta. E esses são defeitos muito grandes para quem busca construir uma relação. Quem age dessa maneira sempre quer ter a última palavra e não é capaz de abrir mão do que pensa ou quer pelo bem do companheiro ou da relação.

“Nenhum é mais importante que o outro e ambos precisam ceder. Estar num casamento é estar em um time. Os dois cumprem papéis complementares, servindo um ao outro, ‘servindo’ no sentido de cuidar”, explica Cristiane Cardoso.

Se o seu parceiro não está disposto a fazer isso, ele pode não ser a melhor escolha para a sua vida.

2- Sanguessuga

Sabe aquela pessoa que quer tudo de você, mas pouco oferece? Ela não será um bom cônjuge. Isso porque para um casamento ser feliz é necessário que os dois trabalhem igualmente para a felicidade do par.

O escritor Renato Cardoso explica que “a ideia de Deus para o casamento foi que o homem servisse a mulher e vice-versa. Uma competição sadia de quem faria mais bem ao outro. Isso é amor de verdade”.

Entretanto, muitos entram na relação apenas dispostos a cobrar, sem estarem dispostos a dar. Se um dos dois age assim, o casamento não será feliz.

3- Violento (a)

Se há violência, não há amor. Termine imediatamente e, quando a agressão for física, procure a polícia. Se o seu cônjuge lhe bateu errou, não tem controle, tem que responder diante da lei. Se o cônjuge se arrepender e quiser mudar e salvar o relacionamento, vai ter que buscar ajuda, vai ter que buscar tratamento para gerir os comportamentos agressivos. "Buscar ajuda psicológica, emocional, espiritual, para que então possa se mostrar digno de uma nova chance”, define Renato Cardoso.

Chegamos à parte boa da lista:

1- Retidão

Essa característica não se vê naquele famoso “amor à primeira vista”, que só acontece nos cinemas. Você só saberá que o seu companheiro é íntegro ao conhecê-lo de verdade, conversar com os amigos e familiares, avaliar os seus hábitos.

“Por isso o amor precisa ser inteligente. É preciso usar a cabeça e não somente o coração ao decidir as coisas do amor. Às vezes, nem permitir que o coração tenha qualquer ingerência na decisão, pois ele é a fonte de paixões inconsequentes”, explica Renato. “Quando a inteligência está no comando, é muito mais provável que você tenha sucesso no início do relacionamento, na decisão de casar e durante os anos de casamento.”

2- União

Essa é a principal arma que um casal tem para combater os problemas que surgem com o passar do tempo. “O casal se une contra o problema. Com o tempo, o casal se fortalece e o problema desaparece”, afirma Renato. “Quando o casal entende isso, que eles não são inimigos um do outro e sim parceiros, eles se unem contra o problema" Dessa maneira, não há obstáculo capaz de impedir a felicidade.

3- Comprometimento

Se a união é a principal arma contra problemas, o comprometimento é a rocha sobre a qual a casa deve ser construída. Em vídeo feito durante uma palestra realizada em Brasília, Renato e Cristiane Cardoso explicam que você tem também que casar com o espírito. "Casar com o espírito significa: é o casamento feito através da fé. É a certeza. Tem que haver certeza entre vocês. Ou seja: eu tenho certeza do meu casamento com a Cristiane, eu tenho certeza. Eu creio nesse relacionamento. Tenho fé nesse relacionamento. Então, essa fé, essa certeza do nosso espírito sustenta o amor.”

E essa fé é demonstrada no compromisso que cada um assume para com o casal. Quem acredita no futuro da relação está disposto a lutar por esse futuro, mesmo sabendo que a luta é difícil.

“Casamentos felizes dão trabalho e não acontecem por acaso. Quando você vê um casal que está junto por muitos anos e vivendo bem, saiba que aquele casamento não é fruto de sorte. Não é porque ‘foram feitos um para o outro’ nem porque ‘combinam bem’. Se olharmos mais de perto, vamos verificar que aquele casal trabalha constantemente na manutenção do casamento”, afirmam Renato e Cristiane no livro “Casamento Blindado”, que você pode adquirir clicando aqui.

Compartilhe nas redes sociais.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo