USA
 

Amada por elas e odiada por eles

Discutir a relação: por que a famosa "DR" é tão temida pelos homens?

As mulheres adoram. Consideram-na tão necessária no relacionamento que não saberiam o que fazer sem ela. Por outro lado, os homens sentem calafrios só de ouvir falar dela. A um breve sinal de que ela está prestes a acontecer, eles logo dão um jeitinho de escapulir.

Definitivamente, os homens não têm a menor disposição para discutir a relação. Eles simplesmente não conseguem enxergar o quão saudável ela pode ser para o relacionamento. Quando o assunto é mencionado pela parceira, ele rapidamente associa a algo como “chamar para a briga”, e, por isso, trata de se esquivar.

Por que será?

Será que a forma que nós mulheres temos utilizado para abordar o nosso parceiro é a adequada?  Qual o tom de voz que usamos nessas ocasiões?

E quanto ao momento para iniciar esse tipo de conversa, você espera uma ocasião apropriada ou simplesmente "despeja" tudo o que está entalado sem se importar onde e quando?

O fato é que as verdadeiras culpadas de a 'DR' ter ganhado uma conotação tão negativa perante os homens somos nós mesmas. Esse, infelizmente, é o problema da maioria das mulheres: falta de sabedoria.

A boa notícia é que nunca é tarde para reverter a situação.

Veja algumas dicas dos apresentadores do programa "The Love School", Renato e Cristiane Cardoso para transformar esse momento em algo positivo para ambas as partes:

Escolha um momento adequado - Por mais necessidade que você tenha de falar sobre um determinado assunto ou situação com seu cônjuge, espere o momento e o lugar ideal. Na hora de discutir a relação é preciso privacidade e tranquilidade.

Não seja agressiva - Inicie a conversa de forma branda, isso facilitará o entendimento do seu parceiro e evitará que a conversa se transforme em uma troca mútua de agressões verbais. Não use palavras “baixas” na hora da discussão. Não ataque o caráter dele. Nem sempre o que você sente tem de ser falado. As emoções nos fazem pensar como loucas. Estar nervosa não é motivo para magoar a outra pessoa. Se você é capaz de administrar a raiva no trabalho para manter o emprego, porque não fazer o mesmo para preservar o relacionamento com a pessoa amada?

Seja clara e objetiva - Direcione a conversa para aquilo que você realmente quer e precisa falar. Não traga à tona assuntos já discutidos. Não seja repetitiva. Mantenha o foco e concentre-se em um ponto de cada vez.

Não faça cobranças e críticas - O objetivo deve ser falar de como você se sente, o que a incomoda ou a entristece. Mostrar para seu parceiro o que você pensa sobre uma determinada situação. Acusações e críticas só servirão para afastá-la mais ainda do seu objetivo. Quanto mais você cobrá-lo e criticá-lo, mais ele se tornará resistente à mudança que você tanto deseja.

Saiba ouvir - Isso é uma regra básica para se estabelecer qualquer diálogo. Quando ambos respeitam isso estão demonstrando que querem melhorar o relacionamento. Quando vocês tiverem um desentendimento, permita que seu cônjuge explique o seu ponto de vista antes de você começar a falar. Resista à tentação de defender-se ou de contra-atacar. Isso mantém o nível racional da discussão.

Não generalize - Quando você começa uma frase dizendo "você nunca" ou "você sempre", fatalmente terá problema. Essa afirmação raramente é verdadeira e só serve para ferir o companheiro. Lide com a situação atual. Evite usar palavras como "nunca", "toda vez", "nada", "sempre" e "tudo". Quando você generaliza, a pessoa não lida com o problema que você trouxe e irá se lembrar de algo que contrarie o que você está dizendo.

Não o ridicularize - Não faça piadas de mau gosto. Ridicularizar é desrespeitar. Quando ele estiver nervoso não revide as palavras duras, isso só contribuirá para aumentar ainda mais o nervosismo dele. Mantenha-se calada.

Apague os últimos 10 segundos – Assim como num filme temos a opção de voltar ou adiantar uma cena, podemos usar esse mesmo recurso para "deletar" atitudes ou palavras do parceiro que nos magoaram, assim, damos a ele uma oportunidade de se corrigir.

Não deixe a linguagem corporal cancelar suas palavras - Seu corpo fala. Por isso, cuidado para não dizer uma coisa com a boca e seu corpo dizer outra. Seus gestos, suas reações físicas, sua fisionomia, dizem mais do qualquer palavra. Do que adianta ficar calada enquanto seu marido expõe o ponto de vista del, se com o seu corpo você está demonstrando impaciência, discordância, e até raiva?  Quando, por exemplo, você cruza os braços, respira fundo ou fica balançando a perna enquanto ele fala, você acha que está demonstrando o quê?   

Não faça ataques pessoais - "Você é um mentiroso"; "Você é estúpido". Quando você diz coisas desse tipo para seu cônjuge, é sinal de que seu relacionamento desceu aos níveis mais baixos de desrespeito. Ataques pessoais mostram que você perdeu de vista seu verdadeiro inimigo: o problema, não seu parceiro. Saiba separar as coisas. Você tem que ter em mente que vocês são amigos e irão trabalhar juntos contra a adversidade que estão enfrentando.

Para mais dicas sobre relacionamento, assista ao "The Love School" diariamente, na TV Universal, ou aos sábados, ao meio dia, na Rede Record.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Próximo