USA
 

A qualidade de fé em Pérgamo

A fé constante deve ser uma arma de ataque e defesa, com a qual nós temos que combater o inferno a todo instante

Para a igreja em Esmirna, por exemplo, que estava sofrendo grande aflição e precisava de um consolo, o Senhor Jesus Se apresenta como “o Primeiro e o Último”, ou seja, o vencedor absoluto sobre a morte.

A igreja em Esmirna precisava saber disso, para manter a qualidade da sua fé. Mas, para a igreja em Pérgamo, o Senhor Se revela como "... aquele que tem a espada afiada de dois gumes" (Apocalipse 2.12).

É de acordo com esta apresentação que o Senhor mostra com clareza o tema central desta carta: nenhuma mistura! Sim, pois sendo a espada de dois gumes a Palavra de Deus, então, através dela tudo é colocado em pratos limpos! Tudo é revelado! Por maior que seja a mistura, ela separa o joio do trigo, a alma do espírito:

"Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. E não há criatura que não seja manifesta na Sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos dAquele a quem temos de prestar contas." Hebreus 4.12,13

Deus não quer qualquer tipo de mistura! Quando do advento da volta do Senhor Jesus, o apóstolo João nos mostra o Senhor elevado, assentado sobre o cavalo branco:

"Está vestido com um manto tinto de sangue, e o Seu nome se chama o Verbo de Deus; e seguiam-No os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro. Sai da Sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e Ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso." Apocalipse 19.13-15

Com ela, Ele julga as nações anticristãs, pois, em seguida, diz: "Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes". Apocalipse 19.21

No seu Evangelho, João diz: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a Sua glória, glória como do Unigênito do Pai". João 1.14

Assim, o Senhor Jesus é a própria Palavra de Deus que Se fez carne e habitou entre nós. Aliás, Ele Se revela como a Palavra de Deus não apenas à igreja em Pérgamo, mas através de toda a história da salvação, até o dia de hoje.

Com essa espada Ele matará o anticristo. A Palavra de Deus convence, julga e faz separação. E foi isto mesmo que o Senhor Jesus disse aos Seus discípulos:

"Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa." Mateus 10.34-36.

Quando alguém se converte ao Senhor Jesus, é pela pregação da Palavra de Deus. E quando este alguém se converte, pode logo se preparar para enfrentar inimigos da sua fé, dentro da sua própria casa!

Pérgamo, naquela época, era a residência de um governador romano e também um centro de culto ao imperador César Augusto. Conforme já mencionamos, aqueles que se recusassem a adorá-lo como se fosse um deus eram imediatamente sacrificados, por ordem do governador, que por sua vez era enviado de Roma.

Ora, por causa disso a igreja em Pérgamo estava vivendo em extremo perigo, pois das duas uma: ou os cristãos se associavam aos demais, e adoravam a César, para salvarem a pele, como se diz popularmente, ou se sujeitavam à morte, por causa da fé no Senhor Jesus.

Nessa encruzilhada, então, cada um decide ao seu destino eterno. E esta é a razão pela qual o Senhor, em vez de dizer  "Conheço as tuas obras..."(Apocalipse 2.2), Ele diz:  "Conheço o lugar em que habitas..." Apocalipse 2.13

O Senhor Jesus reconhece que a igreja em Pérgamo estava cercada pelo perigo, pois estava localizada na área do trono de Satanás. É curioso que a História registra algo semelhante nos nossos dias.

Da mesma forma que em Pérgamo havia um altar de trezentos metros de altura em honra a Júpiter, também chamado de Zeus, em cada grande cidade deste mundo há gigantescas imagens de entidades do paganismo.

Quando o Senhor faz referência ao trono de Satanás, em outras palavras está dizendo que tem conhecimento de tudo o que está se passando com cada servo Seu. E, além disso, que nunca vai permitir que sejamos provados acima da nossa capacidade de podermos suportar.

Foi o caso, por exemplo, de Jó. Satanás tocou na sua família, nos seus bens e até na sua saúde. E tudo com a devida permissão de Deus. Somente por causa desta permissão é que ele pôde estragar a vida de Jó, por um tempo limitado de sete meses.

E mesmo assim Jó suportou, vindo a receber mais tarde o dobro de tudo quanto antes possuía além de outros dez filhos (Jó 42.13).

Vale a pena salientar que o Senhor Jesus diz que o trono de Satanás está em Pérgamo, mas não diz que está estabelecido lá. A verdade é que o trono do diabo nunca foi estabelecido em lugar algum, como o trono do Senhor Jesus Cristo, que está na glória dos Céus e nos corações daqueles que são Seus.

O trono do diabo é móvel, porque lhe falta poder para se estabelecer. Ele existe, mas não tem estabilidade. Notemos que há um louvor da parte do Senhor para com a igreja em Pérgamo: "... que conservas o meu nome e não negaste a minha fé..." Apocalipse 2.13

A palavra "conservas" aqui não exprime exatamente o sentido do original grego, que quer dizer "segurar e se agarrar com todas as forças". Significa que os cristãos de Pérgamo se agarravam com todas as forças ao nome do Senhor Jesus, sem negar a fé.

Exemplo disso é Antipas, reconhecido pelo Senhor como Sua testemunha e servo fiel. Conta-se que ele era um dos principais pastores da igreja em Pérgamo, e que, pelo fato de ter se recusado a negar a sua fé – e adorar o imperador romano - foi assado vivo dentro de um boi de bronze.

Este martírio cunhou a igreja de Pérgamo com a fama, razão pela qual o Senhor Jesus lhe dá o título de Si mesmo: "e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha..." (Apocalipse 1.5).

Quando o Senhor afirma "... e não negaste a minha fé..." (Apocalipse 2.13), está Se referindo à fé constante, como arma de ataque e defesa, com a qual nós temos que combater o inferno a todo instante.

Comentário



Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo