USA
 

No reino e na perseverança

É impossível ser um verdadeiro cristão e não ser provado pela perseguição

Todo aquele que nasce de novo, pela água e pelo Espírito Santo, é portador do Reino de Deus. O Senhor Jesus mesmo disse: "... Porque o reino de Deus está dentro de vós" Lucas 17.21

Este Reino é espiritual, e só fazem parte dele aqueles que foram lavados no sangue do Cordeiro. Não se pode entrar nele à base de dinheiro, amizade, "pistolão" ou qualquer alternativa humana.

Só existe uma porta de entrada: o Senhor Jesus Cristo! A pessoa que desejar entrar precisa crer nEle e andar de acordo com a Sua Palavra! Não existe outra forma. O próprio apóstolo João, referindo-se a este Reino, disse: "E da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Aquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!". Apocalipse 1.5,6

A perseverança da fé no Senhor Jesus não é uma opção, mas uma condição para se herdar a vida eterna.

O diabo tem sido perseverante na tentativa da destruição da fé cristã. Ele persevera com as dúvidas, para tentar neutralizar a nossa fé; e nós perseveramos com a fé, para neutralizarmos as dúvidas.

Quem for mais perseverante vencerá. E a verdade é que somente o nascido de Deus é perseverante! Os fracos desanimam e os covardes fogem. Só mesmo aqueles que nasceram de Deus, que tiveram um encontro pessoal com o Senhor Jesus, perseveram e prevalecem!

O próprio apóstolo João é testemunha daquilo que escreve, pois, em uma ilha do Mediterrâneo, isolado de tudo e de todos, lá estava ele, preso. E por quê?

Ele mesmo responde:"...achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus." Apocalipse 1.9

Deus nunca permite que sejamos presos em nossa própria "Ilha de Patmos" por acaso. Sempre que somos levados a circunstâncias difíceis - como prisões, perseguições, humilhações, injustiças e tudo o mais - é porque Ele quer falar conosco; quer nos revelar algo muito importante para a Sua Obra e para nós mesmos.

As maiores revelações de Deus acontecem mediante as maiores provações da fé. Creio que o Senhor nunca fala conosco enquanto as coisas vão bem. Em tempo de paz é muito difícil termos ouvidos para ouvir a voz do Espírito Santo.

Todos os homens de Deus do passado só receberam as revelações dEle quando estavam em apuros de prisões, perseguições e injustiças. Aconteceu com Pedro, Paulo e muitos outros.

Quando o apóstolo João estava confinado à prisão, na Ilha de Patmos, é que lhe foi revelado o Apocalipse. Isso aconteceu por volta do ano 85 d.C., quando ocorreu a maior perseguição promovida pelo imperador romano Domiciano.

João não foi exilado naquela ilha por ter roubado, matado ou cometido qualquer crime contra aquela sociedade, mas porque anunciava a Palavra de Deus e testemunhava da ressurreição do Senhor Jesus.

Aliás, este continua sendo o motivo pelo qual os homens de Deus são levados às prisões. É pelo bem que procuram fazer que são levados aos tribunais. E por quê?

Porque está escrito: "Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno" (1 João 5.19). Quer dizer que aquele que é de Deus sempre será perseguido por aqueles que não são dEle.

E como o mundo inteiro jaz no Maligno, então é óbvio que sempre haverá injustiças por parte daqueles que não são de Deus, para com aqueles que são. O Senhor Jesus mesmo alertou os Seus seguidores quanto a isso:

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: não é o servo maior do que seu senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros..." João 15.18-20

Todo cristão tem de passar pelo crivo da perseguição. É impossível ser um verdadeiro cristão e não ser provado pela perseguição. Ela começa primeiramente dentro da própria casa. Depois, estende-se pela vizinhança, amigos do trabalho e da escola.

Quanto maior for a participação na Obra de Deus, maior será a perseguição movida contra a pessoa! E o inverso também vale: quanto menor for a participação na Obra, menor será a perseguição.

Interessante é que se por um lado João estava profundamente atribulado naquela ilha, por outro também pôde ter o maior privilégio: ser escolhido para estar em espírito no grande e tremendo dia do Senhor. Ele descreveu:

"Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia." Apocalipse 1.10,11

Aconteceu o mesmo com Moisés, quando, no deserto, fugido do Egito, pastoreando as ovelhas do seu sogro, subitamente teve o seu encontro com Deus, no Monte Sinai.

Também ocorreu com Elias, quando desesperado fugiu de Jezabel, mulher do rei Acabe, e se escondeu em uma caverna. Ali Deus lhe falou o que devia fazer. E agora é a vez do apóstolo João, que em meio à provação é conduzido em espírito ao dia do Senhor!

A princípio, imaginamos que este dia fosse um domingo, pois é comum chamarmos o domingo de o dia do Senhor. Mas a sua importância está muito além de um simples domingo, haja vista que naquele dia o apóstolo João viu o Senhor Jesus em glória!

Ele viu o Senhor Jesus não como o Salvador, mas como "...aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso." Apocalipse 1.8

A verdade é que a revelação que João teve nesse dia foi do grande e terrível dia dos juízos do Senhor, ou o dia da Grande Tribulação.

Leia esse e outros assuntos no blog do bispo Edir Macedo

Comentário



Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo