USA
 

Mundo chega a 7 bilhões de habitantes

Contagem oficial é feita pela ONU, que alertou autoridades a pensar em como fazer do planeta um lugar melhor para as pessoas morarem

Nesta segunda-feira, 31 de outubro de 2011, a população mundial atinge a marca de 7 bilhões de habitantes, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), responsável pela contagem oficial. Os avanços médicos, vacinas eficientes e as altas taxas de natalidade são apontados como os principais motivos para a explosão populacional registrada nas últimas décadas.

Em 1800, o planeta havia registrado 1 bilhão de habitantes, segundo a ONU, e chegou aos 2 bilhões de pessoas 130 anos depois. Nos últimos 50 anos, a população mundial passou de 3 bilhões para 7 bilhões.

Desta vez, um bebê da Índia será escolhido como símbolo da marca histórica, assim como ocorreu em 1999, no dia 12 de outubro daquele ano, ocasião em que o planeta atingiu a marca de 6 bilhões de habitantes.

“Em vez de nos preocuparmos com os números quando a população mundial chegar a 7 bilhões de habitantes, devemos pensar sobre como fazer do planeta um lugar melhor para as pessoas morarem”, defendeu a ONU, no relatório intitulado "O Estado da População Mundial 2011".

Esgotamento de recursos

O excesso de consumo da população atual é um fator que pode contribuir para o esgotamento de recursos do planeta, alerta o documento. "Com planejamento e os investimentos corretos nas pessoas agora, para dar-lhes poder a fim de que façam escolhas que não sejam boas apenas para elas, nosso mundo de 7 bilhões pode ter cidades sustentáveis prósperas, força de trabalho produtiva que alimente as economias e populações jovens que contribuam para o bem-estar de suas sociedades".

Os que têm menos de 25 anos formam 43% da população em média – até 60% dela em alguns países. E é esse grupo que precisa ser educado e treinado para que os países tenham uma força de trabalho dinâmica, defende o relatório.

Em algumas regiões mais pobres, as altas taxas de fertilidade atrapalharam o desenvolvimento e perpetuaram a pobreza. “É essencial matricular as garotas na escola e proporcionar às mulheres empregos e oportunidades iguais, além de assistência à saúde na área reprodutiva e sexual”, disse o documento.

Comentário

Qual a sua opinião sobre essa matéria?
Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão.
Somente comentários relevantes serão autorizados.
Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline.
Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@universal.org.br.



Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Próximo