USA
 

Mulher mutila corpo de suposta amante do marido em enterro

A falecida teve ainda os cabelos cortados. Leia

É muito comum os noticiários exibirem casos de pessoas que se vingam, com violência, da (o) amante da pessoa amada. Só que, algumas vezes, a forma de vingança é bizarra.

Na cidade de Tulsa, em Oklahoma, nos Estados Unidos, Shaynna Laura Sims invadiu o enterro da suposta amante do marido, que morreu de causas naturais, e vandalizou o corpo da falecida. Ela se passou por maquiadora – que prepara os cadáveres para serem velados – e entrou na sala do necrotério. Lá, pôs o plano em prática: cortou o cabelo de Tabatha Lynch com uma tesoura, retalhou o rosto e os seios e cortou parte de um de seus dedos. Além disso, também roubou os sapatos da morta e sujou o rosto dela de batom.

Ela fugiu, mas quando o ato foi descoberto ela se tornou a primeira suspeita. Acabou presa em flagrante pelos policiais e, para piorar a situação, foi informada na cadeia de que o marido havia entrado com um pedido de separação. Parentes de Tabatha afirmaram que ela e o marido de Shaynna eram apenas amigos.

Paranoia

Shaynna não feriu Tabatha, pois esta já estava morta, mas atingiu as pessoas que a amavam e mostrou o descontrole emocional que domina sua vida. Para resolver os problemas amorosos, é necessário usar a inteligência e não os sentimentos. O ciúme ou a dor da traição não podem ser maiores do que a razão. “Raiva, ódio, desejo de vingança e outras dores emocionais são péssimos ingredientes para tomar decisões. Nesses momentos, não tome nenhuma decisão drástica, pois suas emoções estão à flor da pele e poderão fazer com que você tome atitudes das quais se arrependerá mais tarde”, explica o palestrante e escritor Renato Cardoso.

Renato orienta que é melhor deixar o tsunami de emoções negativas passar para, então, decidir o que fazer. Por mais difícil que pareça, avalie o que motivou o ato, tanto de traição como do que tem lhe causado ciúmes. Verifique o que é responsabilidade do parceiro e sua e o que farão daqui para frente. No caso de uma traição, decida se vai dar uma chance ao parceiro ou se vai se separar, mesmo que temporariamente, até que novas condições sejam cumpridas. “Pese bem a situação e, se necessário, busque um conselho imparcial de alguém que você respeita. Isso pode lhe ajudar a ver a situação de outros pontos de vista”, diz.

Perdão

Mas seja qual for o caso (ciúmes, traição ou separação) é preciso que haja perdão. A mágoa impede que os problemas sejam totalmente superados. “Você precisa encontrar forças para perdoar, para que não fique refém do que aconteceu. Conte com a ajuda da fé. Você não precisa ser religioso para receber conforto e direção espiritual. Aí onde você está, fale com Deus e abra seu coração”, conclui.

Se você tem passado por problemas na vida amorosa e não sabe como resolver, compareça às palestras da Terapia do Amor e aprenda sobre o amor inteligente. Clique aqui e encontre a Universal mais próxima. 

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo