USA
 

Jovem tenta remover tatuagem, mas cria marca ainda pior

Entenda a importância de refletir sobre o que faz

Pasuda Reaw tem 21 anos de idade e uma horrível marca no corpo. Há algum tempo ela tatuou flores em seu peitoral. Arrependida, tentou remover a tatuagem, mas causou um estrago ainda maior.

Para remover a tatuagem sem utilizar os caros e dolorosos tratamentos a laser, Pasuda utilizou um processo químico criado há mais de 20 anos. Esse processo, chamado Rejuvi, consiste em aplicar alguns produtos químicos no local da tatuagem, fazendo com que os pigmentos de tinta da pele inchem e cheguem à superfície. Quando isso acontece, a tatuagem forma uma crosta (como pode ser visto nas imagens abaixo) que pode ser retirada. A tatuagem de Pasuda realmente formou uma crosta, mas não sem causar sofrimento e deixar uma cicatriz enorme.

“A princípio, Rejuvi pareceu uma boa maneira de remover a tatuagem, já que eu não queria utilizar lasers”, declarou a jovem ao site britânico Mirror. “Eu comecei o tratamento e imediatamente senti coceira e muita dor. A pele demorou muito para se soltar. Isso foi como tortura e eu não podia dormir.”

Pasuda conta que a dor era tanta que ela não conseguiu dormir por 10 dias, chorando muito. Hoje, cerca de 3 meses após o tratamento, ela posta fotos e mensagens em suas redes sociais para conscientizar as pessoas a não tomarem a mesma decisão que ela: “Eu compartilho imagens como um alerta aos outros para serem cuidadosos em relação ao que fazem”.

Vale a pena?

Pasuda Reaw é tailandesa, da cidade Udon Thani. Naquela região, como em muitos outros lugares do mundo, uma tatuagem tão grande e aparente pode prejudicar na busca de uma posição no mercado de trabalho. Ao Mirror, Pasuda revelou que esse foi o principal motivo que a fez querer apagar a tatuagem, além de já não gostar tanto assim do desenho.

Como muitas outras pessoas, Pasuda se arrependeu da tatuagem que fez pouco tempo após tê-la feito. A princípio parecia uma boa ideia, mas, após refletir, ela percebeu que traria mais prejuízos do que benefícios e quis apagar.

Esse é um dos motivos por que a Bíblia orienta tantas vezes a refletirmos antes de agir. Afinal, mesmo que tudo seja lícito ao homem, nem tudo convém. No programa “Obreiros em Foco”, o bispo Domingos Siqueira cita essa passagem e explica que, influenciados por outras pessoas ou pela moda, muitas pessoas tomam decisões das quais logo se arrependem, pois causam danos.

“Quando Paulo fala que todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm, é dizendo que você tem que tomar muito cuidado para não permitir que o modismo tome lugar no seu coração. Não seja como aqueles que tentam se moldar aos costumes e hábitos deste mundo, às modas”, afirma o bispo.

De acordo com ele, a tatuagem é um desses hábitos que as pessoas praticam sem refletir seriamente sobre o futuro, influenciadas, por exemplo, por celebridades que exibem as suas tatuagens.

“No mundo todo os artistas, as pessoas famosas, exibem as suas tatuagens. É a coisa mais comum hoje tatuar o nome da namorada, do namorado, do filho, da filha, do pai, da mãe, até do cachorrinho. Elas fazem símbolos no corpo. As pessoas que seguem esse modismo não têm o entendimento das coisas de Deus, e elas fazem aquilo porque é o que todo mundo está fazendo.”

O bispo destaca que não há nenhuma crítica em relação às atitudes dessas pessoas e que, ao contrário de criticar, a orientação é refletir muito bem sobre a conveniência de se tatuar e questionar a si mesmo sobre o porquê de estar fazendo isso, quais são as influências e no que isso acarretará.

“Nós não podemos nos isolar do mundo, nós não podemos nos trancar dentro de um quarto e simplesmente não ver o que acontece nessa vida. Se você ligar a tevê, vai ver coisas boas e coisas ruins. Se você abre a porta da sua casa e vai pra rua, vê o que é bom e o que é ruim. Mas, embora nós vivamos neste mundo, nós temos que saber o que devemos reter e o que devemos lançar fora”, afirma o bispo Domingos. “O que é bom eu guardo, aquilo que eu vejo que não serve eu simplesmente lanço fora, não deixo entrar em mim. Quer dizer: eu não vou ser influenciado pelas coisas exteriores, eu não vou ser influenciado pelo mundo, pelos costumes.”

Algumas pessoas se tatuam pensando que podem remover ou cobrir o desenho depois, mas, como demonstra o caso de Pasuda, isso não é tão simples. Geralmente tatuagens sobre tatuagens não ficam boas e o processo de remoção, além de caro e muito doloroso, não apaga completamente aquela marca.

Para entender mais sobre o tema, assista ao vídeo abaixo, com a explicação completa do bispo Domingos Siqueira:

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo