USA
 

A palavra proibida dentro de um casamento

Saiba o que não pode ser dito

Um casal jordaniano ganhou destaque em jornais do mundo inteiro na última semana de abril. Mesmo que não tenha sido possível identificá-los, os relatos foram publicados em diversos jornais e sites. Tudo isso porque, antes de jantar, a mulher quis fazer um vídeo para a rede social Snapchat.

Na noite em que o caso aconteceu (sábado, 29 de abril), o restaurante de luxo que escolheram, na capital, Amã, estava cheio. O casal teve de esperar cerca de meia hora para se sentar. Após escolherem os pratos e aguardarem a chegada da comida, a mulher passou a filmar as refeições, dizendo que enviaria as imagens aos amigos e seguidores.

Faminto, o homem iniciou uma discussão. Em pouco tempo a briga virou gritaria e o homem saiu do restaurante, sem pagar a conta e deixando a esposa para trás, repetindo várias vezes a palavra “talaq”, que, traduzida ao português, significa “divórcio”.

A palavra proibida

Todos os casais passam por discussões e dificuldades. Uma palavra, entretanto, deve ser extinta do vocabulário conjugal se as duas partes levam o casamento a sério: divórcio.

A Bíblia afirma que, quando homem e mulher se casam, “não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19.6). Logo, quando um casal se casa sob a Graça de Deus, isto é, entregando-se em corpo e espírito, não deve falar em separação.

“O grande problema das pessoas hoje em dia é que elas estão casando só com o corpo”, explica o bispo Renato Cardoso, em vídeo publicado em seu blog.

Quando, em um casamento, existe o compromisso espiritual de ambas as partes, assumido diante de Deus, o que se deve fazer é buscar a solução do problema, em vez de falar em divórcio. Isso porque, quando alguém pensa em separação, a dúvida começa a entrar na vida dessa pessoa. E o espírito da dúvida é capaz de destruir uma relação.

O bispo Renato conta que ele mesmo viveu essa situação, mas que, naquele exato momento, fechou a porta para a incerteza.

“Um dia a Cristiane, frustrada, falou assim para mim: 'Então, se é assim, é melhor a gente separar.' Eu falei: 'Nunca mais fale essa palavra. Nunca mais mencione essa palavra.'”

O bispo sabia que a esposa, Cristiane, não queria realmente o divórcio, mas sim uma reação dele. Mesmo assim, permitir que aquela frase se repetisse seria um erro grave, por isso reagiu dessa maneira.

“Eu cortei aquilo na hora e falei: 'Está amarrada essa palavra. Você nunca mais vai falar isso. Não se fala. Isso é um palavrão no nosso relacionamento. Eu não quero que você fale isso jamais.' Ou seja, a gente estava passando uma dificuldade e ela jogou essa ideia de separação. E eu quis cortar aquilo na hora, para que não entrasse dúvida no nosso relacionamento.”

De acordo com ele, repetir essa palavra é abrir as portas da casa para a incerteza. E um casal em dúvida começa a se afastar espiritualmente. Não permita que isso aconteça dentro da sua casa.

Se você está passando por dificuldades na vida a dois, participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal, e descubra como lutar contra elas.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo