USA
 

O fantasma que assombra muitos apaixonados

Saiba o que é o fenômeno “ghosting” e como não sofrer com ele

Tags: Namoro

Aquela pessoa bloqueou você no Face. Ela visualizou, mas não respondeu a nenhuma das mensagens enviadas no WhatsApp. Não curte mais as suas fotos no Instagram. Não dá atenção aos seus tweets. O celular está sempre na caixa postal e os e-mails e mensagens parecem nem chegar até ela. Sim, essa relação acabou.

Esse comportamento, desde 2015, consta nos dicionários em inglês nomeado como ghosting. “Ghost”, em português, significa “fantasma”. Ou seja, a pessoa que simplesmente passa a ignorar a outra, sem qualquer motivo aparente, está “fantasmeando”.

A prática não é nova, mas, com o avanço da internet, as pessoas passaram a ter muitos mais meios de encontrar alguém e, consequentemente, de sofrer com esse tipo de situação. De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto YouGov, somente nos Estados Unidos, 11% das pessoas já agiram dessa maneira, enquanto 13% já levaram esse tipo de fora.

A pessoa que inicia um relacionamento amoroso e, sem qualquer explicação, passa a evitar o outro certamente não é a ideal para um namoro. Ela foge das responsabilidades e evita o simples ato de ser honesto, ou seja, colocar um ponto final na situação. Entretanto, para muitos não é tão fácil simplesmente aceitar o fato.

O que fazer para um "ghost" não lhe assombrar

Sherry Turkler, professora de sociologia do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, disse ao jornal The Huffington Post que, com as novas tecnologias, nos acostumamos a nos livrar das pessoas simplesmente não respondendo. “Isso tem graves consequências, porque, quando nos tratam como se pudéssemos ser ignorados, começamos a pensar que tudo bem, e nos tratamos como pessoas que não têm sentimentos. Ao mesmo tempo, tratamos os outros como pessoas que não têm sentimentos, e a empatia começa a desaparecer.”

Isso se torna uma corrente em que as pessoas se respeitam cada vez menos e machucam umas às outras cada vez mais. Ainda segundo Sherry, se alguém sofreu várias experiências de ghosting, essa pessoa deve examinar as suas escolhas, pois é preciso respeitar a si mesmo e não cair outra vez no mesmo padrão, ou seja, valorizar a sua autoestima.

E para evitar sofrer com esse tipo de atitude, é necessário se proteger, conforme explica a escritora Cristiane Cardoso, autora do best-seller “Namoro Blindado”:

“Como solteiro, você precisa se blindar para que o seu valor não dependa da pessoa que está ou não ao seu lado.”

De acordo com ela, quando uma mulher diz "meu namorado me largou e o meu mundo desabou", o que ela realmente está dizendo é que o seu valor dependia totalmente dele e, agora que ele se foi, ela não vale mais nada. "Quando o namorado diz para a namorada: ‘Se você me deixar, eu me mato’, ele está determinando que o valor da sua vida está naquela pessoa.”

Esse sentimento de dependência demonstra falta de equilíbrio emocional. Uma pessoa deve amar primeiro a Deus, depois a si mesma, e só em terceiro lugar uma outra pessoa. Quando alguém coloca o seu parceiro à frente de Deus e de si, certamente não terá um relacionamento saudável.

Para não sofrer — de novo ou pela primeira vez - com o ghosting, ame a Deus e a você, aprenda a se valorizar. Você pode aprender como fazer isso participando da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Anterior Próximo