USA
 

Regras de reality show russo permitem até estupro e assassinato

Programa vai confinar 30 pessoas em floresta da Sibéria por 9 meses

No dia 1º de julho de 2017, 15 homens e 15 mulheres entrarão em uma arena de mais de 9 quilômetros quadrados, montada em uma floresta da Sibéria – onde a temperatura varia entre -40 graus (no inverno) e 35 graus (no verão) – para participar do reality show “Game2: Winter”, organizado pelo empresário russo Yevgeny Pyatkovsky.

O objetivo é permanecer 9 meses em meio à vida selvagem, lutando contra insetos venenosos, lobos e até mesmo ursos. Ao final, um prêmio equivalente a quase 5,5 milhões de reais será dividido entre os sobreviventes.

O projeto de Pyatkovsky conta com 2 mil câmeras instaladas em locais estratégicos da floresta, além de minicâmeras que serão carregadas por cada um dos participantes. Mas o que mais chamou atenção sobre o programa são as regras (ou a falta delas). O empresário russo afirmou que qualquer reivindicação dos participantes será ignorada. Eles serão responsáveis por caçar a própria comida e, se ficarem doentes, terão de se curar sozinhos. Nem mesmo crimes cometidos dentro da arena causarão interferência no reality.

“Tudo é permitido. Lutas, álcool, assassinato, estupro, fumar, qualquer coisa. Tudo estará escrito em um documento a ser assinado pelos participantes antes do início do show”, informou Pyatkovsky ao jornal britânico Daily Mail.

O departamento policial da Rússia já afirmou, no entanto, que se crimes forem cometidos, as pessoas serão responsabilizadas. O empresário não parece se importar com essa determinação.

Tudo por dinheiro

Pyatkovsky filmará pessoas em condições físicas e psicológicas extremas 24 horas por dia, 7 dias por semana, durante 9 meses, com o objetivo de obter o maior lucro possível. Já os 30 participantes colocarão a própria vida em risco pela premiação.

“Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores”, afirma a Bíblia em 1 Timóteo 6.10.

Em seu blog pessoal, o bispo Edir Macedo explica que “o dinheiro não é mau. Mau é a sua paixão por ele. Essa paixão incentiva pessoas a se lançarem nas mais irresponsáveis “aventuras”, colocando em risco a vida e o corpo concedidos por Deus para cada um.

“Almas têm sido lançadas no inferno por terem dedicado a sua cobiça desenfreada a ele. A sede, a fome e a idolatria delegadas ao dinheiro têm sido tão intensas, que há quem entregue a alma ao diabo em troca dele”, afirma o bispo.

De acordo com ele, a paixão pelo dinheiro faz as suas vítimas acreditarem que o material é o mais importante em suas vidas. “Por conta disso, quem o ama mata, rouba, trai, destrói, enfim, é capaz de fazer qualquer coisa para tê-lo.”

É necessário estar atento para julgar todas as coisas e saber o que trará prejuízos ou benefícios para o seu espírito.

Você acredita que participar de um reality show como esse pode ser bom para essas pessoas?

Compartilhe a sua opinião nos comentários.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Próximo