USA
 

O que é viver no Espírito?

Existem decisões que podem definir tudo em nossa vida aqui na terra e muito depois dela. É preciso apenas saber quais serão suas escolhas

Às vezes, você se pergunta como pode estar na igreja e, mesmo assim, algumas coisas não estarem nada bem em sua vida. Comparece às reuniões, é fiel em seus compromissos assumidos e até separa tempo para realizar o trabalho evangelístico, como obreiro, por exemplo. Contudo, o percurso de sua vida parou em algum ponto ou, pior ainda, parece que os passos são para trás e não para a frente.

Acontece que você pode estar fisicamente na igreja e mais fisicamente do que pensa. Não estamos falando só da presença pessoal. Aquela pessoa ali é você mesmo, mas tem mais de você naquele corpo do que de Deus. É a isso que chamam de homem carnal. Ele pode até ter optado por nascer de novo, mas tudo não passou de uma opção leviana. Até está na igreja, mas não passa de um religioso. Seu foco é sua própria força humana. Toma decisões sem buscar um direcionamento de Deus. Seu ego é que está na frente. Fala de fé, está presente às reuniões e cumpre votos só por obrigação.

Vamos pegar o exemplo de uma pessoa que trabalha em uma empresa, como tantos de nós. Aparentemente ela “vestiu a camisa” daquela organização. No entanto, faz um jogo nada honesto: enrola no trabalho para que pareça não dar tempo de fazer o que precisa e acaba fazendo horas extras só para receber um dinheirinho a mais no fim do mês. Não porque precisava cumprí-las, mas por ter provocado uma falsa falha para obter um benefício financeiro nada ético. Resumindo: está roubando a mesma instituição que tanto defende. É um ladrão que não se acha ladrão.

Essa pessoa é um ótimo exemplo de como funciona quem anda “na carne”: ela finge para si mesmo que aceitou o Espírito Santo de Deus em seu ser, mas vive abrindo as portas para o pecado. Pode até querer Jesus como Salvador, mas não como seu Senhor. Acha, inclusive, que pode pecar “numa boa”, pois seu trabalho na igreja lhe dá certas “credenciais” para burlar as regras. Vive de aparências, é religiosa e se entrega ao diabo mais e mais a cada dia.

E quem anda no Espírito e vive nEle?

Essa pessoa é diferente. Abre mão de suas decisões para pedir o direcionamento certo a Deus. O Espírito Santo que ela recebeu de verdade, e não só num jogo de aparências, fala mais alto em sua vida. É por isso que ela progride na saúde, nas finanças, no amor, no trabalho, no estudo, na vida, enquanto outras engatinham sem sair do lugar.

O ser humano que age assim é espiritual, por isso seus olhos – que não são só os seus, mas os do Espírito nele – enxergam de longe as armadilhas que os demônios armam para que, pecando, ele deixe o mal entrar. É assim que o estrago se faz e com força, como adverte o bispo Júlio Freitas: “O espírito maligno vai criar uma situação, uma cilada, para pecarmos e, consequentemente, errarmos e, então, ele poder causar aquele problema de vício, doença, depressão, nervosismo, prostituição, violência, idolatria, adultério, separação, depressão…”. Essa pessoa cai justamente na falha de se apoiar no que não devia: “Mesmo possuindo a Bíblia Sagrada, crendo em Deus, quantas pessoas não têm perdido a batalha contra os espíritos (maus)? E por quê? Porque no Espírito somos fortes, mas na carne, fracos”, explica.

Armadilhas do mal

Mas, quando estamos no Espírito, ignoramos sentimentos meramente humanos, não deixamos a emoção tomar conta de nós nem caímos em outros perigos que o bispo Júlio enumera: “não fazemos o que é prejudicial como ter maus olhos, mágoas, malícia, medo, ansiedade, egoísmo, acomodação, ressentimentos, dúvida, insegurança, indefinição, nervosismo, timidez.” E esses são só alguns dentre muitos.

O bispo lembra de um exemplo claríssimo na Bíblia, de como alguém espiritual está livre do pecado por estar protegido pela força do Espírito de Deus, que é muito diferente da nossa limitada resistência humana. O profeta Daniel tinha todas as desculpas para ter caído em inúmeras tentações, mas se conservava fiel a Deus.

Ele foi jogado literalmente aos leões para servir de exemplo aos que contrariavam seus captores. No entanto, as feras só fizeram olhar para aquele homem, quando em outras circunstâncias ele seria a refeição quase instantânea delas, com muita dor e sofrimento. Não o devoraram “porque ele andava em Espírito”, diz o bispo. “Contudo, ele era um ser humano como eu e você, segundo a Bíblia, e sujeito aos mesmos pecados. Porém, quando temos o Espírito de Deus, os leões não podem nos devorar. Podemos ser lançados na cova, mas, lá na cova, o Espírito Santo vai estar conosco e vai nos livrar”, afirma.

E os carnais que eram jogados naquele mesmo buraco cheio de predadores? “Quando uma pessoa não tem o Espírito Santo, a título de exemplo dos inimigos de Daniel, antes de os seus corpos tocarem no fundo da cova, os leões estraçalharam todos os seus ossos. O que significa isso? Significa que os demônios pegam até no ar as pessoas que estão na carne. Antes mesmo de chegarem ao fundo do poço, já estão totalmente destruídos”, relata o bispo.

Hora extra com o diabo

É hora de pensar se realmente você recebeu o Espírito Santo ou se só comparece a reuniões e fala de Deus para se sentir ou passar a impressão de ser cristão, em vez de ser de fato. Hora de descobrir, na certeza que só o Espírito Santo pode dar, se Ele está mesmo em você. É muito importante para o destino eterno de sua alma que você seja espiritual, viva sob a direção de Deus. Quem não a tem, age como aquela pessoa da qual falamos anteriormente, que enrola no trabalho para receber “unzinho a mais”. Esse vai acabar mesmo fazendo hora extra, mas no inferno, que é o lugar de quem escolheu ceder à carne.

É por isso que muitos veem outros no Altar dando testemunhos maravilhosos, enquanto eles mesmos são meros espectadores. Não repararam ainda que tudo é uma questão de escolha e o sucesso é uma consequência disso. E o bispo Júlio finaliza com uma descrição clara de quem escolheu o certo: “Quando temos o Espírito Santo, quando Ele está em nós, pensamos, falamos, agimos e reagimos como Deus pensa, fala, age e reagiria no nosso lugar – somos quem Deus quer que sejamos! E, nisso, vencemos as tentações, os problemas, as tribulações, as perseguições. Vencemos o mundo, como disse Jesus, o inferno inteiro”.

Aos domingos, em toda a Universal, bispos, pastores e obreiros clamam para que todos os presentes tenham um encontro com Deus. Se você tem chorado, mesmo que baixinho e sem que as pessoas saibam, se você está cativo por causa de um problema, não deixe de participar, desse dia especial. Veja o endereço da Universal mais próxima da sua casa.

Comentários

Lembramos que este espaço é reservado somente para comentários referentes à matéria em questão. Somente comentários relevantes serão autorizados. Pedidos de oração e orientação podem ser feitos na página do Pastor Online: www.universal.org/pastoronline. Sugestões e reclamações podem ser enviados para redacao@sp.universal.org.br.

Nossas Sugestões

Nossas sugestões

x
Próximo